quarta-feira, abril 08, 2009

Ao Livro Verde no guia das 100 mais importantes livrarias do país

Reprodução
A campista Ao Livro Verde, a mais antiga do país, como não poderia deixar de ser, tem a sua história registrada no Pequeno Guia Histórico das Livrarias Brasileiras, que acaba de ser lançado pela Ateliê Editorial, de Ubiratan Machado. Foram selecionadas cem lojas em todas as regiões brasileiras. Mais informações aqui.

10 comentários:

claudiokezen disse...

Taí! O Livro Verde merece todas as homenagens pela longevidade. Parabéns ao blog pela bela lembrança.

Anônimo disse...

Pena ela ser lembrada e merecer homenagem apenas pela longevidade!
Porque livraria propriamente dito ela não é! Afinal, quase não vende livro lá... aqui em campos carecemos de uma boa livraria, ainda bem que existe a internet e as compras online.

Maria Amelia disse...

Parabéns à família do Sr. João Sobral! Parabéns a Campos! Parabéns a você, Ricardo André, pela sensibilidade!

César Ferreira disse...

Vitor, apareça hoje no bar do Afrânio depois das 2h. Preciso entregar o livro que você me emprestou.

Maria Amelia disse...

Perdão, Vitor Menezes, por ter "lido" que a mensagem sobre o Ao Livro Verde, foi postada pelo Ricardo André. Parabéns a você pela sensibilidade e cuidado com a história de nossa cidade. Ao Ricardo, melhoras da gripe.

Yuri Amaral disse...

Concordo com o anônimo. Acho muito boa a homenagem, mas, de livraria não tem nada. Salvo livros didáticos e alguns livros de bolso.

As vezes fico me perguntando:

- Como pode uma cidade com 3 úniversidades públicas (UENF, UFF, IFF), 4 faculdades tradicionais (FMC, FDC, FAFIC, FOC) e vários escolões do ensino superior (Universo, estácio, candido mendes, ISE SENSA) não ter livraria? Nem ao menos uma boa papelaria pra quem estuda arquitetura, design, engenharia...

A desculpa da internet parece boa, mas, ao que me parece, e as pesquisas vêm indicando, universitários têm lido cada vez menos. Infelizmente.

Anônimo disse...

Como assim "livraria"?

Anônimo disse...

Yuri, como se estudar na UENF, UFF ou IFF fosse garantia de formação intelectual e crítica... hahaha

A mediocridade do universitário já algum tempo se faz evidente. Ou por pura alienação e falta de leitura mesmo, ou por excesso de especialização em uma única coisa, esquecendo das outras coisas que acontecem na mídia, sociedade e no mundo.

Quem faz a sua formação é o próprio estudante. Conheço estudantes da UENF, IFF e UFF, que a grande maioria é tão alienada quanto os das particulares, salvo raras exceções, assim como nas paticulares.

Quanto a Livraria (parece até piada a notícia), sinceramente não vejo mais necessidade delas existirem por causa dos preços. Não seria justo eu dizer que é lamentável não termos livrarias boas, se não compro livro nelas. Só compro na internet por causa dos preços. O mesmo vale pelo fechamento da Scriba. Não posso lamentar o fechamento, pois sempre vejo filmes via download na internet.

ZZZ

TEQUILA E AFINS disse...

Vejo com muito orgulho termos algo que represente o nosso passado ainda existir, uma prova que coisas boas devem perdurar, não importa se novas tecnologias estão surgindo, pois existem e sempre existirão pessoas com sensibilidade para preservar a memória.
Parabéns ao Livro Verde e a vcs do blog!
Leandro Tavares

Rodrigo Rosselini disse...

Uai, anônimo... de qualquer forma, continuamos sem livraria. Pior ainda não? Sem intelectuais, como vc diz, e sem livraria...

users online