segunda-feira, março 16, 2009

Cadastro mais parece obra eleitoral

Foto: Francisco Isabel/Secom PMCG
Sinceramente não entendo a necessidade deste cadastro para que a população usufrua da passagem a R$ 1, que começou hoje. Como uma espécie de imposto negativo, acho até que o programa tem o seu mérito. Mas o cadastramento, para mim, só atende a interesses eleitorais.

Qual é o problema de todos, indistintamente, poderem pagar R$ 1 nos ônibus? Se o argumento para cadastrar é o de que só quem precisa deve ter acesso ao direito, sugiro outra lógica: a de que seja incentivado que mais pessoas utilizem o transporte coletivo, independentemente das suas condições financeiras ou se são campistas ou não. Manter ônibus a R$ 1 pode ser um estímulo para todos, até para quem tem carro.

Do jeito que está, com este esquema de tendas e cadastramento, tudo parece aquela velha operação para que todos reconheçam o padrinho que está dando a benção. Política republicana, impessoal e universal não interessa a quem gosta de manter o povo sob tutela.

12 comentários:

Yuri Amaral disse...

Aquele velho papo: só pobre e estudante andam de ônibus.

Pô, no rio vejo até neguinho de terno usando coletivo! Mas como andar em ônibus sujos, velhos, sucateados, com funcionários mal-humorados por estarem a meses sem receber?

Pode ser 1 real ou pode ser de graça. Continuo usando a bicicleta: mais rápido, ecológico, divertido e barato.

Anônimo disse...

Gente, será que é tão difícil assim entender o sentido do cartão? Como não dá pra desenhar numa caixa de texto, vamos passo a passo:

1 - Não dá pra diminuir (pelo menos não para R$ 1) o custo real da passagem em todo o município, talvez nem na área urbana;

2 - Portanto, a prefeitura tem que repassar para as empresas a diferença do valor da tarifa real e a tarifa reduzida (R$ 0,60 no caso da tarifa urbana, por exemplo);

3 - Então, como saber o valor que a prefeitura tem que repassar? Com base numa média de passageiros? Um fiscal em cada ônibus anotando a quantidade de passageiros passando pela roleta? Eis que aparece o cartão!

4 - Por exemplo, a máquina (a mesma do Riocard) registra (com a ajuda do cartão) x passageiros no mês na linha Campos X Farol (R$ 5,00). Então a prefeitura tem que repassar x vezes R$ 4,00 para a empresa. Nem sempre é exatamente assim, como no caso de um passageiro que pega esse ônibus e desce em Goitacazes, aí o cobrador altera o preço na máquina (exatamente como no Riocard). Simples assim! Quem está acostumado a usar o Riocard (seja o vale-transporte ou expresso) sabe que o funcionamento é parecido.

5 - O presidente da Emut falou que será criado um Conselho do programa, com participação de entidades da sociedade civil, que terão acesso aos relatórios da movimentação de passageiros e repasse da verba.

Agora fica a pergunta: se eu que não trabalho na prefeitura sei disso tudo (vi TODAS essas informações no site da prefeitura e na imprensa), porque um jornalista, que pode ter contato direto com a secretaria de comunicação, não sabe? Ou finje que não sabe? Preguiça ou só vontade de falar mal?

Anônimo disse...

NÃO ENTENDE?
O FATO QUE SE NÃO HOVER CADASTRAMENTO,CERTAMENTAS AS EMPRESAS DE ONIBUS ERA SO RODA A ROLETA E A PREFEITURA TINHA QUE PAGAR REEMBOLSA...,E COM CARTÃO O CONTROLE É MAIS EFICAZ....,CONTRA SUPERFATURAMENTO EM CIMA DA MESMA...

Rodrigo Rosselini disse...

Preços diferenciados para um serviço público? Como assim? Entendo a gratuidade para idosos, estudantes e portadores de necessidades especiais, mas isso aí é puramente eleitoral. E o pior e a sensação de impotência, porque não há debate na câmara, não há embate.

Camisinha.com disse...

coisas de campos...

campos dos goytacazes...

tetê


.

Anônimo disse...

Explicando o cadastramento.

Segundo matéria no site da prefeitura, o cadastramento está sendo feito visando os múltplos serviços para o cartão, sendo a passagem a 1 real apenas o 1º benefício.

O cartão ainda servirá para o SUS, para Estudante, Idosos, entre outros serviços.

Alguns documentos que estão sendo exigidos tendo como finalidade outras funções e não a pasagem a 1 Real.

A pessoa receberá um cartão (único) e nele terá todos benefícios.

Por isto a necessidade de cadastrar-se.

Seria fácil baixar o valor da passagem para 1 real, porém se alguém quiser sair do jóquei para ir até ururaí gastaria 4 reais (ida e volta). com o cartão a passagem é única, apenas 1 real.

Auci disse...

Huummm... se eu fosse politicamente correta não diria o que direi, mas, como não faço questão de, vamos lá: acho que a cabeleireira errou a mão na tinta e fiquei loura demais... Então anõnimos, dá pra desenhar, por favor?!

Sinceramente.... sem comentários!

Anônimo disse...

ALERTA!!!

Atenção blogueiros e imprensa!!!

Rosinha anunciou neste fim de semana que resolveu o problema das bolsas de ensino fundamental. Que resolveu que nada. Tudo mintirinha, Tudo historinha... Depois de todo o sofrimento dos pais com recadastramento, demora e humilhação de alunos nas escolas foi aprovada uma lei que tem a única intenção de acabar com o programa. Sou uma mãe de aluna que teve o recadastramento aprovado e não adiantou de nada. A escola simplesmente não aceita pq não vão renovar o convênio com a prefeitura. Minha filha é aluna do João XXIII e fui chamada pra negociar a mensalidade com disconto já que eles não querem mais o convênio. Não sei se está acontecendo o mesmo com a outras escola mas com relação ao João XIII, posso garantir já que fui pessoalmente tratar do assunto. Se quiserem comprovar é só entrar em contato na escola

Anônimo disse...

Ao último anônimo (a),
vc deveria tentar uma bolsa de estudos tb, só que para vc.

Gervásio Neto disse...

Rosselini,
esperar debate nesta Câmara é utopia de nossa parte. O filme continua o mesmo. Só mudaram os protagonistas.
Parabéns Vitor pelo post!!

Anônimo disse...

Muito boa a sua analise, esta claro que a prefeitura que fazer um bolsão assistecialista, não vê quem não quer.

Anônimo disse...

Só os cegos de espirito é claro,é que não querem ver o que se passa nesta cidade, esse curral eteitoral do senhor garotinho. Gente tenha santa paciência, quando estaremos livres desse povo??? Essa história de cadastramento é um absurdo, a senhora garotinho disse em sua campanha que a passagem seria a um real para todos e agora vem com essa conversinha mole, só não ver quem não quer, eu não caio nessa, não dou meu endereço, meu numero de carteira de trabalho, muito menos o numero do meu título de eleitor pra essa gente.

users online