domingo, fevereiro 15, 2009

A cidade que maldiz os campistas

Nós, campistas, precisamos tomar uma providência. Conheço uma cidade aonde todos nos maldizem. Do taxista ao porteiro do prédio, do motorista de ônibus ao político, do jornalista ao advogado, do professor ao escriturário, do delegado ao padre. Todos, absolutamente todos, lançam impropérios diários contra a condição simbólica de ser campista. Um acinte que não podemos mais admitir. Podemos até estudar medidas judiciais.

Dizem que os campistas não sabem cuidar da cidade. Que são preguiçosos e que são maus pagadores. Que não conservam as suas ruas, que não zelam pelos seus jardins. Contam, abismados, que os motoristas campistas são os piores do mundo, e que andam com lentidão na faixa da esquerda, enquanto correm nas ultrapassagens pela direita. Não obedecem faixas de pedestres e estacionam sem cerimônia sobre as calçadas.

Insolentes, os habitantes desta cidade dos maledicentes afirmam nas rodas de bate-papo que os médicos daqui são despreparados, que os jornalistas escrevem mal, que os advogados são dos piores, que os estudantes não estudam.

Contam ainda que o campista não vê problemas em arremessar um lixo na rua. Que falseia comprovante de residência para emplacar carros no Espírito Santo. Que sonha com um cargo em comissão na Prefeitura e que sua mais entusiasmada ambição é ser personagem de coluna social.

Parece até que a principal diversão destes ávidos juízes populares é mesmo falar mal do campista. Fazem isso com um prazer quase sexual. Inclinam a cabeça, aproximam-se do ouvinte, balbuciam as ofensas bem de perto, quase tocando a orelha alheia com os lábios, enquanto os olhos percorrem o entorno para a certificação de que tem alguém testemunhando aquele momento de gozo — porque é sempre melhor ser feliz em público.

Compartilham o privilégio da anunciação de cada novo defeito descoberto. Quando mais informais, dizem apenas “sabe a última do campista?”. Quando mais solenes, afirmam, em tom dramático: “não tem jeito, os campistas aprontaram novamente”. Vivem com os campistas na cabeça, como se fôssemos responsáveis por mazelas de todo o país, quiçá do mundo.

De modo que conclamo todos os meus conterrâneos campistas a uma cruzada de resistência a este comportamento nocivo dos habitantes desta cidade que conheço. Não será tarefa fácil enfrentá-los, mas tal volume de acusações não pode ficar sem respostas.

Todos juntos, então, partamos hoje mesmo para a cidade aonde o povo tanto nos maldiz. A própria Campos dos Goytacazes.

[Crônica publicada na edição de hoje do Monitor Campista]

14 comentários:

Anônimo disse...

Muito boa, Vitor!
Apesar de não ser campista nata, entro na "ala", já que o carnaval se aproxima, dos (as) que querem dar um basta nisso!!!
Abraços!

Marcelo Bessa Cabral disse...

Oi, Vítor.
Mais um texto com a marca da sua inteligência.
Fiz referência a ele em meu blog e recomendei a leitura desse verdadeiro manifesto.
Parabéns!

Rodrigo Rosselini disse...

"Contam ainda que o campista não vê problemas em arremessar um lixo na rua. Que falseia comprovante de residência para emplacar carros no Espírito Santo. Que sonha com um cargo em comissão na Prefeitura e que sua mais entusiasmada ambição é ser personagem de coluna social".
Bom, pode ser que nem eu nem você nem os nossos sejamos assim... mas basta caminhar num raio de 200 metros a partir de qualquer ponto desta cidade que você verá vários exemplos disso aí... infelizmente.
Porém, não sei se o problema é "do campista", do fluminense, do brasileiro, ou um tanto da humanidade, que anda mal, muito mal.
Mas achei interessante você evocar "o campista", colocando a todos nós nesse meio, e nos chamando à responsabilidade de construir uma cidade melhor.
"Eu, tô contigo"! Rsrsrsrsrs.

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

ATÉ QUE ENFIM!!!!!!!!!! NASCEU!
Pois perto de mim ninguém fala mal de Campos.Ninguem Simula para ver.E tem outra, não eixo falar de Paraty ambém não.Paraty é pé de Campos. Eles ja sabem. Um dia eu estava chegando em Campos e comecei a elogiar o Cèu lindo!!!!Grandão! O Céu mais lindo do Brasil... E áí meu marido: " mas fede". Ahhhhhhhh... falei: Meu amor o que mais fede nesta cidade não é o vinhoto, é algo que logo logo vai parar de feder. E olha, ainda hei de ver Campos exalando o mais lindo perfume. O mais lindo perfume.
Vitor meu filho, Tô nessa com você. Você não imagina como ja chorei e arranjei briga por causa disso!!! de verdade. Não tô contando causo. Tem a ver com a postagem. Pois é... vamos nessa. E podemos fazer uma festa? Tô doida para estreiar minha injumentária... Quando fui banida, o que mais meddeixou triste foi saber que eu não ia mais estreiar minha injumentaria... mas olha, o que vai ter de Flor e perfume na minha injumentária!!! Ahhh uns sinos, tambem. EITA CAMPOS minha cidade e meu amor...

CAMAPOS! É TEMPO DE VIDA E ALEGRIA PARA TI. TE AMO MINHA LINDA CIDADE. POR TI, DOU MINHA VIDA. PASSO TODAS VERGONHAS, TODAS AS HUMILHAÇÕES, MAS PASSO FELIZ E BEM JUMENTAL... E mortinha... mortinha...

Álvaro Marcos Teles disse...

Vitão, seu texto superou o estágio de sensacional. Alcançou o de essencial. O melhor do ano, disparado, e um dos mais fiéis a realidade que já li.

Anônimo disse...

Gente,

Devemos sempre ir contra atitudes arraigadas que para maoria parece normal - Ex. declarar endereço falso e furar filas(estas coisas certamente existem em todos os lugares)- para modificar não só Campos, mas o País.
Seria bom que o poder público inovasse e destinasse as verbas de propaganda de governo para aulas de ética em praças públicas(aliadas a outros eventos) e uma forte reeducação do povo sobre os valores fundamentais da sociedade através da mídia.

Carlos Alberto.

Anônimo disse...

NÃO SEI SE IRÁ PUBLICAR MAS TENTO.

VITOR, É INTERESSANTE A SUA CONTESTAÇÃO DITÁTICA,NO ENTANTO, ACHO QUE SERIA FUNDAMENTAL A MUNDANÇA DE MAZELAS INERENTES A NOSSA FORMAÇÃO HISTÓRICA - SEJA AQUI OU ACOLÁ. QUE TAL MUDARMOS GRADATIVAMENTE ESTE PROCESSO, ISTO É, AS REFERÊNCIAS E A FORMAÇÃO DO CIDADÃO. ASSIM VEM ACONTECENDO EM BOGOTÁ E MEDELÍN NA COLOMBIA, QUE EM CERTOS ITENS SE BASEIAM EM CURITIBA. QUE TAL UMA CRUZADA CONTRA A IMBECILIZAÇÃO GERAL? AH, VOCÊ SE ESQUECEU DO CINTO DE SEGURANÇA.

WAGUINHO BSL disse...

VITOR, BONITO E PROFUNDO O QUE VC DISSE, MAS NADA DISSO AÍ RELATADO É MENTIRA. QUERO ACREDITAR QUE TODAS MENÇÕES FEITAS NÃO SERÃO OU SERVIRÃO COMO CARAPUÇAS NA MAIORIA DA POPULAÇÃO DAQUI, MAS A FALTA DE EDUCAÇÃO, ESTRUTURA FAMILIAR, CIVISMO E RESPONSABILIDADE PARA COM A CIDADE É EVIDENTE EM TODAS AS ESCALAS. JÁ DISSE MUITAS VEZES QUE TENHO VERGONHA D EMORAR AQUI, POIS, O POVO QUE AQUI MORA, EM NADA HONRA O SANGUE DOS NOSSOS ANCESTRAIS QUE DERAM A VIDA POR ESSA TERRA QUE TINHA TUDO PARA SER PRÓSPERA E FELIZ. PARABÉNS PELO EXCELENTE TEXTO.

Simone Cardoso disse...

Muito bom, mesmo não sendo campista, estou com você e o povo de Campos nesta luta...Acredito que tudo depende de nós !!!

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

Eu acho tão interessante aquela "coisa de" quando lemos um texto temosÉsempre que colocar : "É interessante, NO ENTANTO ACHO FUNDAMENTAL..."

Tudo bem num debate, mas aqui?

Quanto a "referencias" , o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) interrompeu sua campanha à Prefeitura de São Paulo para visitar a cidade colombiana de Bogotá, pois queria conhecer experiências na área de transporte, ponto crítico na capital paulista. A principal experiência que Alckmin quiz conferir de perto é o Transmilênio, sistema de transporte de massa da cidade que se tornou REFERÂNCIA mundial no começo desta década. Nem sei se foi. Ele foi? E aí? È a isto que você se REFERE?


Quanto a "formação do cidadão"


Tenho algo legal aqui. Entrevista muito interessante com o jurista colombiano de Rodrigo Uprmny, ex-integrante da Corte constitucional de seu país, ao Clarin. A Colômbia, desde 1957, tem uma experiencia de independencia judicial única no continente. Acontece que o Poder Judiciário lá se isolou das influências dos partidos políticos. No passado, a Corte Suprema elegia seus próprios substitutos. Que por sua vez escolhiam os magistrados dos tribunais coletivos e, estes, aos juízes. Isso a dotou de interessante independencia. O lado negativo é que surgiu uma espécide de aristocracia judiciária e formas de clientelismo judicial interno.

Como meu "aqui" não adianta clicar ´por favor ali, faça control c e control v.
http://minimodomundo.blogspot.com/2008/06/experincia-colombiana.html

Interessante né?
Foi iso que vcê quis dizer?
Bem, e aí? Vai ou não vai contribuir para uma Campos mais justa?


Vamos ou não vamos mudar este estigma????

Ah! este do judiciário, foi apenas um exemplo. Aproveitem vocês que são do ramo.
Jumenta só quer contribuir.
Coisas de :http://biblioteca.universia.net/html_bura/ficha/params/id/38442789.html

Maycon R. disse...

Sou ex-capixaba atualmente morador de Campos digo é tudo verdade.

"Dizem que os campistas não sabem cuidar da cidade. Que são preguiçosos e que são maus pagadores. Que não conservam as suas ruas, que não zelam pelos seus jardins. Contam, abismados, que os motoristas campistas são os piores do mundo, e que andam com lentidão na faixa da esquerda, enquanto correm nas ultrapassagens pela direita. Não obedecem faixas de pedestres e estacionam sem cerimônia sobre as calçadas."

Dizem não é uma verdade campista é isso mesmo.

Márcia Justiniano disse...

Excelente texto, vamos partir para a luta, vou começar preparando um texto sobre o assunto e postando no meu blog. Só para começar, mãos a obra.

Abçs

Anônimo disse...

Essa tal de Rosângela ainda encontra espaço por aqui??? Poxa Vítor não dá mais pea aguentar essa mulher... Arggg...Porreeeeeeeeeeeee...

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

Anônimo, das 17 e 30, vamos ser tolerantes amado, pois amanhã, Rosângela pode ser justamente àquela quem vai dar a mão a você se por acaso ( tomara que não) estiver vivendo alguma situação de discriminação ou opressão.
Anônimo, o mundo é pequeno, ninguém é melhor que ninguém.

Tudo passa. Não vale à pena a intolerância. Não esperemos as catástrofes para distribuirmos ternura...

"Assim existe em nós um mundo de amor por algo, embora não tenhamos a menor idéia do que seja". Traherne

"O princípio único do inferno é este: "Eu sou meu". George Macdonald

"Se a dor é máxima, o alívio está próximo". Sir Aldingar

" Os campos, as águas, os céus, em acordo isento. Pareciam, sim, me sorrir e favorecer meu intento". Spencer

"Você muitas vezes encontra na natureza personagens tão extravagantes que um poeta prudente não se aventuraria a colocá-las no palco". Lorde Chesterfield

Leia mais no livro: Surpreendido pela Alegria.
autor: C.S.Lewis
editora: M.C.

Sem catástrofes, e com ternura:
Rosângela

users online