quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Cabos eleitorais oficiais

Certas tentações são difíceis de superar na política. Uma delas é a nomeação de cabos eleitorais para funções mirabolantes. Em Campos, sem que haja qualquer divisão formal em subprefeituras ou modelos semelhantes, disseminou-se a prática de remunerar, com dinheiro público, agentes da Prefeitura em bairros e distritos. Atendem pelo nome oficial de "Supervisores de Serviços Municipais". Que tal?

Hoje mesmo, por exemplo, o Diário Oficial do Município, publicado pelo Monitor Campista, traz as nomeações de dois destes "supervisores". Um vai cuidar da extensa área do "Beco/Usina Santo Antônio", outro do distrito de Beira do Taí. Receberão salários mensais como DAS 07.

Quem comanda o exército de cabos eleitorais é a Secretaria de Governo.

8 comentários:

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

Ah Vitor, não sei da implicação política disso, não sei das "entre linhas", etc, mas aqui na Região depois que tivemos um sub prefeito a coisa melhorou e muito!!!

Como pode uma cidade melhorar sem Gente que Faz! Ali presente!?
Deixa uma região sem um supervisor?
E tem outra, gestão é diferente! Gestor "gesta com"...
Para "Gestar com" é preciso de gente de confiança.

Zé Pelúcio disse...

Deixa eu ver se entendi, na capital fluminense, os demos chamavam de Subprefeito, na capital paulista os tucanos e agora os demos também chamam assim, como eles conseguem vender a imagem de "sou direita, sou bom gestor" ou de seus "choques de ordem", lá os subprefeitos são necessários, funcionam, são competentes, se duvidar são até da oposição, nomeados única e exclusivamente por suas competências profissionais, é isso?


Já em Campos, com uma prefeita de base e imagem popular, quando ela indica um "Supervisor de serviço Municipal" não esta indicando uma espécie de Subprefeito, mas sim um Cabo eleitoral, não deve fazer nada neh? Aposto que devem ficar panfletando no calçadão folders de Garotinho governador 2010...

Acho que entendi...

Karla Siqueira disse...

"Gente de confiança" de quem? Do povo é que não é. Desde quando cabo eleitoral que nunca trabalhou na área de saúde, ou de educação, que não tem a mínima noção dos procedimentos da área pode ser de confiança? Precisa ter competência, precisa fazer concurso, precisa ter estudado para tal.

Anônimo disse...

Tem coisa pior ainda.Tem lugar que todos da mesma família são cargos de confiança.tem família com mais de 10 pessoas com DAS,claro que em secretarias diferentes,para que ninguém descubra.Esse é o governo da mudança,mudou a quantidade de DAS por famíla, ao invés de um agora são muitos.E os que votaram 12 e estão no poder?è brincadeira de garotinhos,simples como brincar de baleba,precisa de muitos garotinhos para encher as famosas búlicas.Vamos que vamos.Me explique uma coisinha;Ederval é da base aliada?Nunca vi tanto eleitor de Ederval nos cargos como agora.Os verdadeiros 15 estão abandonando o barco furado que entraram.Aguardem o próximo ano,as urnas dirão se estou certo ou não.

Oscar Halho disse...

e vcs dando mais espaço a jumenta, o urgente virou seu pasto predileto depois das trolhadas que levou no de Xacal.

Zé Pelúcio disse...

Karla, os cargos de confiança são escolhidos pelo chefe do executivo, ou seja são de sua confiança, a prefeita pode escolher quem ela achar melhor para tal função, pois são funções de direção e mais que competência técnica, são funções de natureza política e quem deve avaliar o potencial político e de direção dos nomeados é a prefeita, assim ocorre nas esferas estaduais e federais.


"(...) que não tem a mínima noção dos procedimentos da área pode ser de confiança?" Sim, Karla é de confiança do chefe do executivo, não minha nem sua, o chefe do executivo ganhou um mandato nas urnas que lhe permite escolher os DAS. Essa questão de competência técnica acho que deve ser levada em conta, mas não de forma absoluta.

O fato de determinado servidor não conhecer profundamente determinada area, ou não possuir qualificação avançada ou não ter passado em um concurso público, isso não é argumento para desmerecer o nomeado, visto que no nosso sistema político, os que ocupam cargos de confiança não precisam necessáriamente ser técnicos, pois seu exercício será de caráter político administrativo.
Ex:. José Serra foi um bom ministro da saúde (era economista e não tinha nenhuma experiência em saúde), Palocci foi um bom ministro da fazenda, era médico e não tinha nenhuma experiência em finanças, ou seja o papel político administrativo vai muito além das funções tecnocratas, maior prova disso é o governo Lula.]


Anônimo, essa questão de fámilias estarem ocupando muitos cargos, acho isso sério, não tive informações a respeito, se você tem melhor que isso seja denúnciado.

Óbviamente o fato de uma determinada pessoa ser parente da prefeita ou de algum secretário seu, do mesmo modo que não lhe qualifica também não lhe desqualifica.

Anônimo disse...

infelizmente mudou somente a panela, vcs esqueceram ano que vem é ano de eleição, garotinho precisa eleger os candidatos a deputado estadual, federal e ele próprio, quem manda é ele!!!!
essa cidade não tem jeito, fora a corrupção nossa cidade foi alvo de piada essa semana por conta de um juiz, estou desacreditado sinceramente!!!!!
so tem ladrão, tirando onda de falsos moralista, como se ele não roubasse também....
qual politíco que é honesto CEM POR CENTO???

Anônimo disse...

Enquanto essa jumenta não vê campos bonita ela fica por parati e angra curtindo o belo visual das duas cidades no litoral sul do estado do rio...
e isso que é amor por campos, pimenta no dos outros é refresco. Se gostas tanto de campos venha encarar a dura realidade de falcatruas, roubalheiras, descaramento tanto dos indivíduos ligados ao governo passado, quanto do casal garotinho...
faça-me o favor!

users online