sexta-feira, novembro 13, 2009

Sociedade rompe silêncio. Outros agora precisam falar

O ato de hoje em frente ao Monitor Campista teve muito menos gente do que merecia o jornal e muito mais gente do que era esperado como resultado de uma divulgação exclusivamente feita por e-mails e blogs, em menos de 24 horas, e para algo em horário que impossibilitava a presença de muitos leitores presos a outros compromissos.

Creio que a manifestação foi muito importante. Várias verdades que estavam entaladas foram ditas, várias ausências foram reveladoras, e as presenças queridas serviram bem ao propósito de mostrar que caso morra o jornal, não terá sido sob o silêncio dos campistas.

Uma reunião, para a qual todos os interessados continuam convidados, foi marcada para este sábado, 10h, na Associação de Imprensa Campista (rua Formosa, 460, ao lado da OI/Telemar).   

O que se espera é que, depois de a sociedade ter rompido o seu silêncio sobre o fim do Monitor, outros personagens passem agora a falar para dar as devidas explicações sobre este caso de homicídio.


O blog do movimento Viva Monitor publicou aqui mais fotos da manifestação.

[Fotos: César Ferreira]

4 comentários:

Anônimo disse...

lamentável a morte do monitor...o ideal agora seria fazer um abaixo assinado para fechar o diário e a fmanhã,assim ficaríamos todos vingados.

Heloisa Crespo disse...

Acabei de descobrir que não há tempo para eu transcrever o texto AGONIA ANUNCIADA, como se fora uma carta de protesto, de pesar, de muita tristeza mesmo, pelo fechamento do jornal Monitor Campista, porque a sessão de Cartas dos Leitores é publicada, quer dizer, era publicada às quartas-feiras. Hoje é sexta, sexta-feira 13, talvez o último dia de trabalho neste e deste Jornal!
Continuo digitando, ignorando a não possibilidade da publicação:

AGONIA ANUNCIADA

Campos de luto pela morte anunciada pelo próprio agonizante. Parece confuso o que disse, talvez eu esteja atônita com a notícia que li. É uma convocação para uma reunião em Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária. A sessão Extraordinária será para "examinar, discutir e deliberar sobre proposta da Diretoria para suspender a edição e publicação do jornal "Monitor Campista". E agora? O Monitor está em agonia. Que remédio ministrar? Vamos deixá-lo morrer? Vamos tapar os ouvidos pra não ouvir os seus gemidos? Não. Definitivamente, não. O Monitor Campista é a vida presente e passada de Campos dos Goytacazes. Não sairá da história, se ele é a própria História com seus arquivos repletos do dia-a-dia de Campos.
Por que, silenciosamente, ficou tão adoecido? Precisa sacrificá-lo, como se fora um animal que não mais presta serviços? Prática monstruosa... Sabemos que ela acontece... Mas ele presta serviços, como sempre fez tão bem.
Que estranha agonia...

Heloisa Crespo
2009/11/12

Zé Armando disse...

Quanto custa a verdade ?
Eu compro o Monitor Campista !
Eu compro a idéia de um Jornal sem patrão político, sem partidarismo e sem intenções, segundas, terceiras e gana inescrupulosa por manipulações.
Eu compro um veículo digno e verdadeiro, como único objetivo, o de levar ao conhecimento dos leitores a verdade, de verdade! não aquela que interessa a um ou outro chefe de gangue política !
Eu compro a oportunidade, de falar do que realmente soma ao cotidiano da população campista.
Eu compro, com a condição única da palavra verdadeira, da informação real, do apelo legal.
Eu compro um castelo de idéias acrescentadoras, espaço de realizações verdadeiras e necessárias aos comuns.
Eu compro um palácio de objetividade,sem bobos da corte, sem Reizinhos, Madoninhas ou Divas !
Quer ser meu sócio ?

Anônimo disse...

Estou ouvindo muita gente criticar a prefeitura, em especial a prefeita, pelo fechamento do Monitor Campista.
Gente, o jornal é uma empresa privada. Os donos fazem o que bem entender. O que deve nos preocupar mais é o fim que será dado ao acervo histórico do jornal, sem nos esquecremos que muito já foi destruído pelos mesmos que estão fechando o matutino.

Não podemos esquecer também que muitos que se indgnam, viviam cheirando os fundos dos verdadeiros responsáveis pelo desastre. E que daqui uns meses estarão estampados em fotografia colorida na caipira coluna social, abraçadinhos e regados a etílicos e a Feijoada Completa.

users online