domingo, março 28, 2010

No dia do aniversário, Campos ganha Observatório para controlar contas públicas

Fundado hoje, aniversário de 175 anos da cidade, o Observatório Social de Campos, em solenidade de aclamação da diretoria no auditório da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Além dos representantes das instituições de ensino que lideraram a criação da entidade, participaram representantes de diversas entidades, partidos políticos e movimentos sociais. A nova organização tem como diretor geral o servidor público Aurélio Lorenz Ribeiro.

O Observatório é uma das atividades do Movimento Nossa Campos, entidade criada por meio de Projeto de Extensão da Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense). De acordo com o coordenador do projeto, Hamilton Garcia, o observatório se soma a diversas outras iniciativas que a sociedade campista empreendeu ao longo do tempo no sentido de buscar exercer controle sobre as contas públicas, lembrando os papéis exercidos por instituições como o IFF (Instituto Federal Fluminense) e a UCAM (Universidade Candido Mendes).

“Nossa intenção é criar novas estratégias que viabilizem o controle social”, disse Garcia, ao explicar a ligação da iniciativa de Campos com outros observatórios brasileiros.

O reitor da Uenf, Almy Júnior Cordeiro, afirmou que, embora o principal foco de um observatório de contas públicas em um município seja a Prefeitura, a atuação da nova entidade também poderá estender sua atuação em relação a outras esferas do poder público e seus órgãos, como a própria Uenf. “Esperamos que o Observatório possa contribuir para melhorar as nossas próprias práticas na Uenf”, disse.

A reitora do IFF, Cibele Daher, também destacou o papel do observatório na qualificação das políticas públicas. “Nós, gestores públicos, temos interesse em desvendar os nossos gastos”, afirmou.

A tradição do Núcleo de Pesquisas em Planejamento Regional e Gestão de Cidades, da Ucam, foi lembrada pelo professor Rodrigo Lira, ao afirmar que o projeto do observatório está em sintonia com o que já era praticado na instituição.

Muitos outros representantes de entidades e instituições foram convidados a falar durante a solenidade. O professor Roberto Moraes, por exemplo, lembrou do papel da internet na difusão das informações e o modo como antigos movimentos encontravam dificuldades em reunir e divulgar informações sobre as contas públicas.

Moraes lembrou ainda que atividades como a de um observatório não devem ser olhadas como ameaça pelo gestor público. Pelo contrário, "a fiscalização da sociedade pode ajudar nas boas políticas, e não devem assustar os bons gestores, que devem ter interesse na divulgação das suas contas", argumentou.

Representando o Forum das Entidades de Campos, o ambientalista José Francisco afirmou nunca ter visto “a nata da indignação campista” reunida com tanta representatividade como nesta tarde, o que, segundo ele, era um sinal do sucesso do projeto. Cerca de 50 representantes de entidades e instituições estavam no auditório.

Se pronunciaram ainda líderes de associações de moradores e empresariais, partidos políticos, sindicatos e órgãos de classe. Não enviaram representantes a Prefeitura de Campos e a Câmara de Vereadores. Nenhum veículo da imprensa local cobriu a fundação do Observatório.

[Foto 1: Professor Hamilton Garcia fala durante a solenidade / Foto 2: Aurélio Lorens, escolhido para ser o primeiro diretor geral do Observatório Social de Campos - Fotos: Vitor Menezes]

8 comentários:

Igor disse...

Lamentável em um momento histórico como este e não ter algum jornal da cidade para registrar o evento.
Lamentável..........
Lamentável..........
Parabéns pela postagem.
--

Patrícia Bueno disse...

Puxa! Uma luz no fim do túnel! Isso, sim, é um presente de aniversário para a cidade.

Álvaro Marcos disse...

Tá lá no NF10 (www.nf10.com.br), Vitor. Aliás, o site deu matéria antes da reunião, também.

Álvaro Marcos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleber Tinoco disse...

Vitor,

Nota de quem tem competência, excelente resumo dos fatos.

Alexis disse...

Caro Vitor, retificou uma informação. A coluna de Lenilda Leonardi da Folha da Manhã, desta terça-feira, dia 30, cobriu o evento com duas notas. Além disto, ela colocou uma foto de Almy Junior do professor Garcia.
É só conferir.
Abs

Fátima Nascimento disse...

Aurélio Lorenz é um cidadão que merece nosso crédito. Ótima escolha! Sucesso ao diretor do Observatório e aos demais membros que realizarão este trabalho.

Adaívo Ribeiro disse...

Até que enfim a transparência das contas públicas agora vão estar sobe o crivo de um Observatório. Este foi
o melhor presente para a cidade de Campos dos Goytacazes.
Parabéns aos idealizadores deste projeto que merece com toda razão nossos aplausos.

Adaívo Ribeiro

users online