domingo, agosto 23, 2009

Idade de Campos pode ser rediscutida

Como pode que uma cidade com 174 anos tenha um jornal, como este Monitor, com 175 anos? E como pode que mesmo antes deste jornal tenham existido outros? Como explicar uma festa do padroeiro que se realiza há mais de 300 anos? Ou o fato de ter uma Câmara Municipal fundada no século XVII?

O marco que Campos dos Goytacazes passou a comemorar com mais ênfase, desde 1989, é o da elevação à condição de cidade, em 28 de março de 1835. Daí esta incongruência entre a sua idade divulgada e a sua real longevidade. Antes, dava-se mais ênfase ao 6 de agosto, na contagem da festa do padroeiro, e relativizava-se a importância de outros referenciais.

Se, para pesquisadores da história, esse pode ser um assunto menor, já que estas datas não encerram a verdade de uma época e, por isso, podem reduzir a possibilidade de compreensão de processos históricos complexos, por outro lado não é menos verdade que estes marcos orientam o senso comum e contribuem na construção de um certo pertencimento simbólico.

Só para exemplificar: no mesmo ato de 28 de março de 1835, Campos foi elevada à condição de cidade junto com Niterói e Angra dos Reis. A primeira comemora 436 anos neste 2009, tendo como marco inaugural a fundação da aldeia, por Araribóia, em 1573; enquanto Angra, também neste ano, comemora 507 anos, numa referência à chegada dos portugueses à região em 1502.

O assunto da necessidade de uma revisão no marco para a contagem não é novo. Já escreveram e sobre ele se preocupam pesquisadores como Avelino Ferreira, Silvia Paes, Orávio de Campos Soares e Jorge Renato Pereira Pinto. A novidade é que o primeiro, hoje presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, vai propor um debate no Conselho Municipal de Cultura – “assim que ele for organizado” – sobre a possibilidade de envio para a Câmara de Vereadores de um projeto para rever a idade da cidade.

Ferreira defende que o marco para contar a idade de Campos seja o da criação da Capitania de São Tomé, em 1532. Há ainda outros referenciais possíveis: a doação definitiva da Capitania a Pero de Gois (1536), a divisão da Capitania entre os Sete Capitães (1627), o início efetivo da colonização, com Salvador Corrêa de Sá e Benevides (1648), a instalação da primeira Câmara Municipal (1652), ou a fundação da Vila de São Salvador pelo capitão Gomes Ribeiro, em nome dos Assecas (1677).

O que não pode ser mantida é a situação em que Campos, uma senhora tão tradicional, não assuma a sua idade avançada.

[Artigo publicado na edição de hoje do Monitor Campista]

6 comentários:

zebulom disse...

Vitor, uma coisa que eu sei é que Campos foi investida em Vila em 1644 juntamente com Paraty. O historiador Diunner Mello, daqui de Paraty fala desta ligação Campos Paraty. Muito interessante por sinal. Poderíamos convidar o Diunner para uma palestra. Ele é ótimo e sabe detalhes incríveis. Amo conversar com ele... é um papo e tanto. Não é historiador oficial mas é de FATO e reconhecido por uma Universidade Federal.. Uma riqueza de detalhes. Coisa lindas. Vamos chamá-lo aqui. Digo vamos, porque Campos é minha Cidade e meu Amor. Posso entrar em contato com ele. Há mais de ano que não temos contato. Mas posso procurar aqui. e garanto que só vamos ganhar. CAMPOS Tá Com tudo, gente? E Paraty é seu pezinho.. Ah... um detalhe... ele era padre... Que coisa, não? E outro detalhe melhor, uma das pessoas mais simples que já conheci. Sou fã dele.

contato@multtv.com.br disse...

Vitor, o bloco da Mercearia Campista do primeiro programa, onde se fala dos blogs e os jornais, foi subido no Youtube. Veja no site do canal: www.multtv.com.br

Gustavo

zebulom disse...

Visitei o link acima e gostei muito do bate papo ali. Nada como a sobriedade, né, gente?

Gosto de ver cada um com sua opinião, seu jeitinho... Vitor não perece o que aparentava para mim. é bem melhor do que imaginava.
Quanto ao blogsxJornalismo só tenho a dizer que seremos todos conectados para a grande volta de JESUS onde todo o olho O Verá. Desculpa, não estou misturando a coisa. Estou separando e bem separado.

Quanto a jornais acabarem ou não, penso que até que todos nós sejamos conectados para os propósitos de Deus, os jornais estarão aí sim. Os jornais só acabarão quando tudo estive também acabando. Esta data prevista por Vitor... 30 40 anos... sei lá, acho que menos...

Quanto a esta coisa de poder falar o que quer e ficar por isso mesmo, não é bem assim. Já pensou se o que for se defender também falar o que quer? E aí? Qual é o limite?

Quanto a coação é o seguinte:

Os que coagem e são "poderosos":
* Usamabusam da lei
* abusam do palavrão
* abusam dos pequenos e humildes
* abusam dod grandes conhecimentos e argumentos falaciosos.

E O PIOR:
ABUSAM DA FÉ- usandotermos dos mais baixos, colocando a pessoas de saia justa.

Por isso afirmo:

Se as pessoas não conhecerem a PALAVRA DE DEUS e não forem discípulas verdadeiras de JESUS, não terão condições de vencer este mundo mau, de pessoas que aproveitam de outras.
Na Palavra de Deus está a essência de Tudo. Amo argumentar qualquer coisa com a Palavra de DEUS.
Não há nada novo debaixo do céu, está lá em Eclesiastes. E diz também que escrever muitos liros é enfado e vaidade... Verdade. É mesmo.

Parabéns pela mercearia.
Eu havia mandado um comentário para a mercearia. Mas como não tenho certeza por minha neta ruim, não sei se mandei ou se não foi publicada. Acho que não não enviei. Mas ali falo sobre a "toalha xadrez azul a la marmitex!" E hoje, vendo vocês conversando ali, vi mesmo que está mais para umamesa de refeição que uma mercearia...

E outra... agora que percebi o rastelo. Não é vassoura.. é rastelo.. de ratela grama. Aproveito para divulgar o link onde a jumentinha volta e desta vez para falar com Lula:
aqui: http://ovelhaaprendiz.blogspot.com/
olha a palavrinha: chablex
Taí, se me chamarem para tomar um chá-blex, eu vou...
O que seria blex...
black... voltar...
não seria melhor... avançar... abçando o amanhã?

graça e paz!
Rosângela
Avancem! Vocês tem futuro pois querem ver Campos cada dia melhor!

Marcelo Bessa Cabral disse...

Oi, Vítor.
Não gosto de falar do que não conheço bem, mas vai aí uma exceção:
me parece que 1648 seria uma data que refletiria mais a verdade: se em 1652 foi instalada uma Câmara é porque antes já havia algo aqui; como a divisão entre os Sete Capitães (1627) não criou nada na região (é isso?), penso que o início efetivo da colonização deve ser o marco.
Campos teria 361 anos.
Muito boa a sua proposta de discutir esse assunto.

Cassio Peixoto disse...

adoorei a pauta, he he he!

zebulom disse...

Ah! O Diunner melo é uma pessoa bem idosa, mas de uma lucidez...!!!

Já o entrevistei pra um trabalho da flip. Inclusive agora que estou lembrando... tenho o filme aqui deste trabalho da flip... PUxa! Tinha esquecido! Vou colocar também no YOU TUBE. Como sou pateta. Tinha até esquecido...
.
.
.
.
.

Sei lá. Penso que tem hora que Deus nos deixa sozinhos, sem idéias, para sentirmos apenas Seu Braço como proteção...

E vou dizer... Campos e Paraty.. sei não. Jesus apronta cada uma...
vejo muita alegria. Muita. hehe

Ai meu Deus, tira de mim tudo o que impede de Campos ser a Linda Ciade do Brasil. Livra-me Senhor, da soberba. Dá-me a cada dia humildade.. pois sei que esse negócio de soberba só dá encrena...

users online