domingo, outubro 26, 2008

Rosinha se empolga e fala na Presidência da República

A candidata Rosinha Garotinho (PMDB) votou agora há pouco na Faculdade de Direito de Campos. Em entrevista, ela brincou com a possibilidade de ser a primeira prefeita de Campos: "Não faz diferença ser homem ou mulher na Prefeitura, mas será uma honra se for a primeira prefeita de Campos, e quem sabe a primeira presidente do Brasil", disse.

O candidato Arnaldo Vianna (PDT) vota daqui a pouco, às 12h, no Cefet (Centro Federal de Educação Tecnológica).

5 comentários:

rodrigocherene disse...

Desabafo de um cristão apaixonado.

Campos, 02 de Outubro de 2008

"Meu partido é um coração partido e as ilusões estão todas perdidas. Os meus sonhos foram todos vendidos tão barato que eu nem acredito...

... Meus heróis morreram de overdose, meus inimigos estão no poder. Ideologia! Eu quero uma prá viver. Ideologia! Eu quero uma prá viver..." "A Ideologia age através do convencimento e não da força". "Nem por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor". (Zacarias 4.6)

Cazuza tinha razão, por onde anda a nossa Ideologia? Será que ainda encontraremos alguém que nesta eleição votará por Ideologia Política? Tenho visto pessoas envolvidas em esquemas, em negócios alheios, fraudes. E nós o que temos feito?

Dizem que religião e política não se misturam, concordo, não se misturam, pois são Inseparáveis.

A negação do envolvimento político pelos cristãos equivale ao repúdio de uma grande parte da Bíblia. Cristãos em várias épocas da história têm "julgado o mundo" (1ª aos Coríntios 6.2). A morte do Ocidente é o resultado do não envolvimento dos cristãos em todas as esferas da vida, inclusive a esfera civil.

Deus criou o mundo (se é que você que lê esta carta é criacionista e crê assim) e colocou Adão e Eva no jardim do Éden entregando tudo que existia a eles. O homem passou a ser o Mordomo de Deus na terra. Não creio em envolvimento político maior que este, porém com o passar do tempo, os cristãos entregaram o mundo nas mãos dos "malfeitores" afirmando entre outras coisas que devemos é pregar e que política não é papel da igreja.

A mordomia estabelecida por Deus no Éden implica tanto em responsabilidade como em prestação de contas. Somos responsáveis pelo futuro de nossa cidade, nosso estado, nosso país. Estamos acostumados a ouvir e proclamar que devido a situação de nossa cidade somente Jesus pode dar jeito, só Ele é capaz de mudar, Jesus é a Solução para Campos. Engano, a solução é você, Jesus é a Razão. Ensinamos o povo a esperar um dia onde Jesus dará um jeito, fará uma revolução na cidade, tudo mudará, aguardamos um milagre. Quando esteve entre nós o povo teve as mesmas expectativas, esperou Jesus se manifestar e nada aconteceu, ao contrário ele ensinou que nós é que deveríamos ser agentes de mudança pois a nossa paz depende da paz que buscarmos para a cidade (Jeremias 29.7).

O potencial humano confere propósito, direção e otimismo a cristãos à serviço de outros num contexto comunitário. O cristianismo não é uma religião de individualismo isolado ou de introversão e sim de comunidade. Os dons e as virtudes cristãs têm implicações sociais. A organização política da sociedade é a provisão divina para a humanidade caída. Deus não pede que as pessoas corretas se distanciem do processo político de governo e deixem o controle sociopolítico e econômico nas mãos dos "malfeitores". Os cristãos devem ser o sal e a luz do mundo social e portanto não podem simplesmente se afastar do processo político. Com efeito, tal abdicação é em si mesma uma ação política que abre o caminho para o controle político para aqueles que não apóiam valores cristãos. "Nada fazer" é uma receita certa para o pecado ficar senhor da situação.

Temos o dever de orar a favor dos que exercem autoridade governamental. Precisamos votar e cobrar às autoridades no poder. Precisamos nos educar e informar quanto a questões que afetam a vida presente e futura (Ignorância política não aumenta a felicidade espiritual) e por fim temos o dever de nos candidatarmos e ocupar cargos públicos.

O que temos feito? Onde estamos agora que a cidade precisa de nós?

Pastores que dificilmente saíam de suas igrejas, a não ser para sua casa, hoje visitam, de casa em casa, membros que talvez nunca foram visitados, a fim de conseguir um voto para um "irmão" candidato. Outros com "medo" escondem-se numa falsa imparcialidade, alegando que não poderia tomar partido pois traria problema para a "igreja". Outros envolvidos em esquemas de corrupção esqueceram "suas igrejas" para servir a interesses pessoais. Onde está a ética? Parece inexistente porém a verdade, e isto ainda é pior, é que ela realmente existe. Na verdade o que existe é uma ética totalmente individualista em um mundo que precisa viver em comunidade. Vivemos e defendemos conceitos de como devemos viver, conhecemos sobre moral, porém nada do que praticamos está voltado para a necessidade de transformar o mundo em que vivemos. O que nos falta não é a ética e sim uma ética social. Pregamos um caráter perfeito, ensinamos como o indivíduo deve se comportar porém se alguém se levanta com o desejo de transformar o mundo recebe repreensões pois isto é uma atitude perigosa.

Desejo conhecer pessoas que hoje lutam pelo bem da cidade, pensando em melhores condições para o povo e não para si mesmo. Porque será que ao escolhermos nossos líderes olhamos para dentro de nós mesmos? Observamos a nossa situação e dizemos: "Este não atende as minhas expectativas, não foi bom para mim, não merece crédito." Quando muito encontramos pessoas que olham ao menos para o lugar onde moram e avaliam, não merece crédito pois veja onde moro, nada fez aqui. Talvez até mesmo se apenas a rua dele tiver com algum problema e todo o bairro onde mora estiver em boas condições, mesmo assim não há crédito. Não somos mais importantes que a cidade onde vivemos." Onde queremos chegar?

Algum tempo atrás, Fernandinho, um irmão-amigo, pastor e membro da Segunda Igreja Batista de Campos, conhecido por muitos em nossa cidade fez uma música que na verdade se encaixa bem na situação que vivemos hoje. A música dizia: "Não posso ficar calado, Não posso ficar de mão atadas, Com tantos votos comprados, Cartas marcadas, Profetas calados." Quantos cristãos encontramos hoje que estão calados, uns por vontade própria, pois são beneficiados pela situação atual, outros por medo, ameaçados, calados, silenciados, forçados a omissão. Quantas vezes ouvi coisas tipo: "Não consigo sair desta situação! É irreversível." Alguns ainda afirmam: "Só Jesus!". Eu afirmo: "Nem Jesus pode com estes." Pessoas cheias de ódio, amargura, rancor, arrogância, maldade, impureza, inimizades, feitiçaria, inveja, lascívia, dissensão, ira, prostituição, bebedice, glutonaria e coisas semelhantes a estas. Não adianta orar, clamar, chorar e nada fazer. Onde estamos quando deveríamos lutar pelo bem de nossa cidade?

"O profeta não explica, ele denuncia; não justifica e sim anuncia o fim do status quo, como passo necessário na caminhada na direção do futuro." Não importa a perfeição individual e sim a participação ativa na sociedade em que vivemos. Não haverá mudança na sociedade se a mesma não começar no indivíduo e você é o ponto de partida. Gosto de uma frase que diz: "É próprio do sábio mudar de opinião." Quero encerrar com um texto que li algum tempo atrás que diz assim:

"Mudem-se as formas de governo, substituam-se os mandatários do povo, reforme-se o verniz exterior das coisas - se o homem, corrupto e corruptor continuar dentro das instituições, a deter nas mãos as rédeas da governança, não há que esperar melhora em nada. Tudo muito cedo voltará a descambar para o abismo. De sorte que o problema básico é este: O HOMEM. Precisamos de homens de caráter - sobretudo de caráter; homens que "temam a Deus e respeitem o próximo", homens que se aventurem e corram o risco de servir [...] Coloquem-se nos postos-chaves do país homens deste alto coturno e tudo mudará de figura e de rumo como por encanto".

É urgente a mudança em nossa cidade e o primeiro passo é a mudança em nós mesmos.

Rodrigo Cherene - Designer, pastor e membro da Igreja Batista em Vila Industrial.

Anônimo disse...

ela fez uma brincadeira gente!!! não tentem confundir!!!

César Ferreira disse...

Eu ví no Monitor Campista que Vitor Menezes é escritor.
Isso eu já tinha informado nos bares e nos guetos.
Esse Monitor hein, tá meio atrasado nos informes! Háhahahahahahahahahahahahaha!!!

Anônimo disse...

Toda brincadeirinha tem um fundo de verdade, só quem é muito trouxa para não perceber que ela não estava brincando.Marta

Anônimo disse...

É... se alguém tinha dúvida que Rosinha irá se utilizar da prefeitura como trampolim para outros cargos..Tá aí a prova.Gostaram?

users online