quarta-feira, outubro 29, 2008

De volta à Villa

Foto: César Ferreira
A convite do urgente!, o vice-prefeito de Campos, Roberto Henriques, esteve na tarde de hoje na Casa de Cultura Villa Maria para posar para fotos no local onde será feita a transição de governo.


A Villa tem um forte simbolismo para o grupo político ligado ao ex-governador Anthony Garotinho. Nela funcionava a prefeitura em 1989, quando este assumiu o governo municipal pela primeira vez.

O blog vai publicar matéria exclusiva sobre o retorno de Henriques ao local onde tudo, para o bem e para o mal, começou.

Um comentário:

Marcelo eLiliane disse...

Isso é importante para o nosso Estado do Rio. Como campista, estou aliviado com a vitória da Rosinha, pois a cidade vem se deteriorando gradativamente nos últimos anos, apesar do dinheiro dos royalties. Rosinha não tem como não fazer um bom governo, até para desfazer a imagem que a grande imprensa tem feito dela e do Garotinho desde que este assumiu o governo do RJ.

O carioca precisa parar de pensar que o Estado do Rio é apenas a cidade do Rio de Janeiro, que o governador deve olhar só para a cidade.

Com Garotinho e Rosinha no RJ, o Estado do Rio COMO UM TODO foi beneficiado! De que adianta uma “cidade maravilhosa” capital de um Estado derrotado? Vamos integrar, unir ideais, pois São Paulo está aí mesmo, ansioso para nos prejudicar.

Rosinha lutou contra a construção de um oleoduto que retiraria o petróleo da Bacia de Campos e seria levado de graça para São Paulo; defendeu a posição do Rio de Janeiro frente ao governo federal em relação às propostas de reforma tributária; denunciou a transferência da construção de plataformas de petróleo para outros estados numa grave injustiça aos trabalhadores de estaleiros do Rio.

A indústria naval começou a ser revitalizada em 1999 graças aos incentivos estabelecidos no governo Garotinho (alguém sabe disso? Deu na TV Globo?), quando só havia cerca de 500 operários e US$ 50 milhões em encomendas. Ao final do governo Rosinha, o setor havia se consolidado com mais de US$ 4 bilhões de encomendas, 20 estaleiros e 130 mil empregos.

Foi contra a privatização da BR-101, federal, que só foi recapeada por que ela peitou o DNIT, lembram? Que governador faria isso?.

O pólo gás-químico foi inaugurado em junho de 2005, em Duque de Caxias, com trinta e seis indústrias plásticas no seu entorno, gerando 15 mil empregos diretos e indiretos.

Foram pavimentadas 1,2 mil km de estradas entre 1999 e 2006.

Em janeiro de 2003, lançou a vitoriosa campanha “A Refinaria é Nossa”, que mobilizou estudantes, artistas, empresários e políticos. Hoje, a refinaria está sendo instalada em Itaboraí (pelo Lula, seria no nordeste).

Em 1999, o estado precisava importar 60% da energia que consumia. Graças aos incentivos fiscais, o Rio recebeu investimentos de US$ 3 bilhões na instalação de seis grandes usinas termelétricas. Hoje, o estado tem 20% em superávit de energia.

Trinta e três municípios passaram a receber o gás natural, que até 1999 só chegava à capital.Rosinha deixou ainda assinado contratos para a chegada do gasoduto a mais 42 municípios.

O metrô chegou até a Estação Cantagalo, em Copacabana, atendendo diariamente a 25 mil passageiros. Rosinha ainda deixou pronto o rabicho de Ipanema e contratada a obra e o financiamento junto ao BNDES para levar o metrô até a Praça General Osório.

Em parceria com a iniciativa privada, foram entregues as estações de barcas Charitas, em Niterói, e a do Cocotá, na Ilha do Governador.

,E a Parmalat em Itaperuna, que continuou operando?

Desde o início do programa “Delegacia Legal”, em 1999 (Garotinho), mais de 7 mil presos foram transferidos para 11 casas de custódia construídas pelo governo, que entregou 100 delegacias legais (quem se lembra de antigamente, só para abrir um B.O., pode ver a diferença...).

Com tecnologia israelense, o Centro de Comando e Controle monitora os pontos críticos da Região Metropolitana do Rio, através de 220 câmeras, instaladas nas áreas de 22 Batalhões de Polícia Militar, além do interior de unidades prisionais. Foi importante para o sucesso dos Jogos Pan-Americanos Rio 2007.

E vai por aí...

Pena que as coisas boas, o Globo não publica nem a TV mostra, só as coisas ruins (e até duvidosas), e com muito destaque. Isso é desinformação.

Aposto como muitos aí pensavam que a Rosinha estava inelegível... pois é, não está, como o Globo tem sugerido há tempos, entre muitas outras omissões da verdade.



Abraços

users online