terça-feira, julho 21, 2009

Vamos usar os espaços que temos

Sobre o tema de hoje da Rede Blog, o que tenho a dizer é o sabido por muitos pais de Campos: se você não estiver disposto a enjaular seus filhos em mini-parquinhos pagos como o Fórum Kids (Centro de Compras da Pelinca), o do Shopping 28 ou algum outro destes que também se dedicam a festas, restarão poucas opções.

O Horto Municipal é um grande terreno aparentemente sem sentido, sem projeto e sem identidade. O Alberto Sampaio é uma praça depois do bombardeio. A Praça da República talvez exista um dia, mas a perspectiva, com a manutenção de quiosques e nenhuma novidade minimamente criativa não é animadora. O Palácio da Cultura fecha no domingo.

O Jardim São Benedito arruína o que lhe resta de beleza com a permissividade para exploração do espaço para brinquedos pagos e mal conservados. Não há atividade de recreação. Exceções talvez sejam as duas belas praças do Flamboyant, com a ressalva de que há frequentes casos de roubos e uso de drogas, digamos, não recomendadas para crianças e formalmente proibidas para adultos.

Enquanto não temos uma política de multiplicação de pequenas e médias áreas de lazer nos bairros, inclusive com a retomada das chamadas ruas de lazer (como dia desses lembrou o Roberto Moraes), e a construção de um grande parque da cidade (como vive sugerindo o Oviedo), minha sugestão é a de que a área cultural da cidade se mexa um pouco mais e ocupe os espaços disponíveis com eventos todos os finais de semana, em um rodízio de locais e de temas.

Abaixo, um exemplo de feira de livro em uma praça (no caso, na Praça da República, em Coimbra), o que também pode ocorrer com outras expressões culturais e esportivas.

4 comentários:

Anônimo disse...

esqueceu da villa maria. sd

Angeline disse...

A cultura é sempre um campo de difícil trabalho, de difícil proposta de gestão, pois falta o básico EDUCAÇÃO...

Anônimo disse...

O Horto Municipal, por exemplo, é de competência de um político derrotado e acabado, que, no entanto, se julga um desportista. Pois é! Estamos f........

ZH disse...

Tentei "vender" um projeto de mini-bosques urbanos, principalmente em bairros de perifieria (ocupando terrenos baldios - focos de lixo), mas ninguém se interessou.

users online