segunda-feira, junho 27, 2011

Ser campista não é para qualquer um

Para manter a sanidade, há épocas em que, mesmo estando em Campos, eu fujo de Campos. É como dar um tempo no relacionamento. Tenho estado assim nestes dias, talvez semanas, que passam. E é num eco distante que ouço algo sobre uma certa manifestação do pessoal da monocultura da cana em favor das queimadas. Me fez lembrar a resistência local em libertar os escravos. Esse é o tipo de coisa que me puxa de volta, mas vou resistir, ainda não estou preparado. Preciso de mais tempo. Campos me consome.

3 comentários:

Weydder Almeida disse...

"Ser campista não é para qualquer um"x2

sagaz disse...

pior ainda é ver alguns orgãos da imprensa local defendendo a manifestação do retrocesso, como se o corte de cana queimada fosse o único destino pra aqueles que vivem no campo.

Anônimo disse...

Eu ando assim faz é tempo... E os médicos querendo me "curar" com antidepressivo. Pode? Tem cura, não, gente! É karma de escravidão... rsrs

users online