quarta-feira, janeiro 12, 2011

Perâmbulâncias de férias

Pessoal, continuo sumido, desaparecido e sem paradeiro conhecido nestas férias – além de outras redundâncias. Passo rapidinho apenas para registrar umas coisitas bacanas que encontrei em Floripa:


1 – Exposição de instrumentos de tortura




A encontrei por acaso, em uma pequena casa de cultura ao lado da Catedral Metropolitana, do Círculo de Cultura Ítalo-Brasileiro de Santa Catarina. Trata-se da Mostra Internacional de Instrumentos Medievais de Turtura. Cabe em uma sala, não tem mais que 30 peças, mas impressiona assim mesmo. As que mais chamam a atenção são a “Virgem de Nuremberg” (um sarcófago) e a cadeira da inquisição. Mas, não sei bem explicar, o que me causou sensação mais estranha foi o cinto de castidade masculino.


2 – Livro gratuito no terminal de ônibus



Se não me falha a memória havia comentado sobre este projeto aqui no blog, mas agora o vi in loco no local, como diria Russo Peixeiro. Esse equipamento público aí fica no terminal de ônibus com alguns (bem poucos, é verdade) livros para o passageiro pegar, ler durante a viagem, levar para casa e, se entender o espírito da coisa, devolver. Sem cadastro, sem atendente, sem prazo, sem nada. É só abrir, pegar e levar. O projeto também aceita doações. Fica a sugestão para a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima.



3 – A Praça XV de Novembro



Não há como um campista se deparar com a Praça XV de Novembro, a mais tradicional de Florianópolis, em frente à Catedral, e não pensar como podem estar impunes os criminosos que acabaram com a antiga Praça São Salvador. Floripa, uma capital simpática e alto astral, cem vezes mais cosmopolita que Campos, não tem dúvida em manter o ar provinciano da sua praça central. Ladeando a figueira centenária, dezenas de árvores protegem banquinhos e jardins que poderiam estar em qualquer pequena cidade brasileira. É orgulho para os habitantes da ilha e alardeada em tudo o que é guia turístico como destino imprescindível no centro histórico.



4 – O Mercado Público





Sobre esse, mesmo quem não conhece Floripa deve ter ouvido falar. Assim como ocorre em algumas outras capitais, o Mercado Público se tornou atração turística, está preservado, limpo e organizado. Uma dica: virou moda um tal Box 32 que é, de fato, bem bacana, mas no entorno há vários outros bares com preços melhores sem que seja necessário disputar uma mesa. Preferi, por exemplo, um que fica com a face para a rua, com uma bonita vista no final de tarde. Uma sugestão para a nossa brava Prefeitura: levar ao mercado de Floripa uma excursão com 50 feirantes do Mercado de Campos. Creio que ajudaria no convencimento acerca da necessidade urgente de um projeto de restauração histórica e revitalização daquela área.


5 – Centro vivo e preservado



Mesmo contando com alguns bons shoppings, Florianópolis mantém um comércio formado por lojas voltadas para rua muito forte na área central. Há muitas ruas com trânsito exclusivo para pedestres (e vi obras para novas interdições para carros) e muitas e muitas lojas em prédios com antigas fachadas preservadas.



6 – O melhor é a espera



Em Ribeirão da Ilha, praia do Sul de Florianópolis, encontrei esse ponto de ônibus que fica a uns dois metros da areia da praia, entre banquinhos e árvores de uma gostosa pracinha, e tive a impressão de que, nele, os passageiros lamentam é quando o coletivo chega.


7 – Fama que vai longe

Um dia, num bate papo de fila de caixa, um morador de Floripa me perguntou de onde eu sou. Após dizer que sou de Campos, sua reação foi imediata e espontânea: “Ah, sim, a cidade rica! Lula salvou vocês hein?” – referindo-se, claro, ao veto ao projeto de mudança na divisão dos royalties do petróleo. Ele não disse, mas depois eu fui ver: o orçamento de Florianópolis para 2011 é de R$ 1.4 bilhão (confira aqui). O de Campos é de, todos sabemos, R$ 1,9 bilhão. Vendo o que se faz lá com o dinheiro e o que se faz aqui, dá vontade de entrar no sarcófago da mostra da primeira nota e não mais sair.

Fotos: Vitor Menezes

11 comentários:

Anônimo disse...

Vitor
Realmente um sonho essa sua viagem,dá inveja ao mais otimista campista ver o dinheiro público ser bem empregado.Quanto a sugestão da visita ao mercado preservado,nem precisa ir muito longe pois em S.Paulo tem um que é um primor em preservação,limpeza e organização.

Aproveite bem as férias!

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Gente..............e os 3 bilhões do quilombola?

NInguém vai falar sobre isso? Futuca isso, Vitim!!!!!ACho que vou fazer o documentario na FAFIC só para fuitucar esses 3 bilhões do Quilombola.

Ah... amei suas postagem, ok? E temos que ver mesmo como é gasto os bilhões do Brasil il il il...

Anônimo disse...

Eu não entro,mas da vontade de colocar todos os politicos de Campos.

Zacarias albuquerque disse...

Sr.Jornalista e Blogueiro Vítor:Penso que as boas experiências de gestão urbana podem e devem ser modeladas e as comparações devem tomar como referência as boas práticas, no entanto considere o que segue extraído do livro:1808 de Larentino Gomes, p.12/127:"com cerca de 3000 habitantes,... a cidade de Florianópolis já naquela época deslumbrava os viajantes pela beleza e pela organização.As casas são bem cosntruídas...,jardins tratados apresentando excelentes jardins e flores, anotou o viajante Jonh Mawe...A cidade proporciona agradável retiro aos comercioantes afastados dos negócios,comandantes aposentados e outras pessoas que,tendo assegurado a sua independência, procuram apenas lazeres para desfrutá-la."Curiosamente é uma vocação que Flori..mantém ainda hoje,como destino favorito de executivos e profissionais liberais aposentados."

Anônimo disse...

Tratas-se de uma cidade-ilha e não o maior município do Estado ,como Campos no ERJ.Deve considerar esse parâmetro.

Mandrágora disse...

Pelas vítimas das chuvas na Serra, foi decretado Luto Oficial, por sete dias, no estado do Rio de Janeiro, pelo governador do estado, Sérgio Cabral.

www.apequenamandragora.blogspot.com

JH disse...

Ah, não deixe de experimentar as ostras no Mercado de Floripa, caso você ainda esteja na cidade e não o fez.

Salubérrimas, deliciosas e a preço justo.

César Ferreira disse...

Tomara Vitor Menezes ralar o cotovelo e quebrar o dedo mínimo da mão direta.

Álvaro Marcos disse...

Os bacanas vão para Florianópolis em janeiro. Amy Winehouse, Ronaldinho Gaúcho e... Vitor Menezes!

Anônimo disse...

Ow. calma lá, zénrique. Vvitor é homi casado. achas que ele cairia de boca em qualquer ostra? se bem que, indicada por vosmicê, devem ser de fato salubérrimas e rosadinhas e tremeliquentas e dáguanabocaparatodoosempreinesquecidas.

amém.

condram.

Anônimo disse...

pega sua família e muda prá lá..

users online