segunda-feira, junho 29, 2009

Do outro lado da notícia. E por um bom motivo



Foto: Wanderley Gil/Jornal O Debate

Não foi um protesto de parar o trânsito – na verdade, ficou bem longe disso. Mas os jornalistas e estudantes que caminharam ontem pelo Centro de Macaé carregando faixa em defesa da validação do diploma para exercer a profissão deram seu recado. Cerca de 15 pessoas, vestidas de preto – com apito e nariz de palhaço – chamaram a atenção no horário do meio-dia. Um abaixo-assinado também está sendo organizado para ser enviado à Fenaj. De acordo com uma das organizadoras da caminhada de ontem, Liliane Barboza, a OAB em Macaé também será procurada para dar apoio na defesa do diploma.

Ps.: Enquanto isso, rolam e-mails. A discussão vai longe, não no STF, mas entre os próprios jornalistas.

Ps 2.: Notem, na foto, que a mulherada compareceu em massa para a manifestação.

Cineclube Sesc - Programadora Brasil

O Cineclube Sesc exibirá o filme "Cinema, Aspirinas e Urubus", de Marcelo Gomes (2005).



"Cinema, Aspirinas e Urubus", de Marcelo Gomes (2005)

Às 19h, no Sesc Campos

Data: 30/06  (terça-feira)




As exibições acontecem sempre as terças-feiras, às 19h e a entrada é gratuita.



Sinopse
Em 1942, no meio do sertão nordestino, dois homens vindos de mundos diferentes se encontram. Um deles é Johann (Peter Ketnath), alemão fugido da 2ª Guerra Mundial, que dirige um caminhão e vende aspirinas pelo interior do país. O outro é Ranulpho (João Miguel), um homem simples que sempre viveu no sertão e que, após ganhar uma carona de Johann, passa a trabalhar para ele como ajudante. Viajando de povoado em povoado, a dupla exibe filmes promocionais sobre o remédio "milagroso" para pessoas que jamais tiveram a oportunidade de ir ao cinema. Aos poucos surge entre eles uma forte amizade

Manifestação de operários da construção civil percorre principais obras do Centro

Fotos: Verônica Azeredo
Muito bacana a manifestação dos trabalhadores da contrução civil que percorre as principais obras do centro de Campos, neste momento. Há pouco, um grupo passou pela Barão de Miracema e, de canteiro em canteiro, paravam para chamar os colegas para aderir ao protesto. Em campanha salarial, eles reivindicam o básico de sempre, e quase sempre negado: reajuste e segurança.

A espontaneidade do movimento podia ser vista nas palavras de ordem improvisadas, nas latas de tinta que viravam instrumentos de percussão, e na singela bicicleta com caixa de som que fazia as vezes de trio elétrico.

domingo, junho 28, 2009

A sociedade no controle

Na noite da última quarta-feira, representantes de alguns dos movimentos sociais de Campos se reuniram no auditório Cristina Bastos, do Instituto Federal Fluminense (IFF), durante a I Conferência de Controle Social de Campos, promovida por projeto de extensão da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), em parceria com o fórum de entidades.

A proposta é a de que seja criada uma forma contínua, técnica e organizada de vigilância da sociedade sobre as contas e as políticas públicas no município, a exemplo do que ocorre em algumas (poucas) outras cidades. Tudo isso com ampla representatividade dos diferentes setores da comunidade.

Em resumo, trata-se de fazer aquilo que a Câmara de Vereadores deveria fazer. É ela que, teoricamente, tem representação popular democrática e o papel de fiscalizar os gastos públicos, a priorização dos investimentos, a avaliação das políticas públicas. E para isso poderia até mesmo contratar consultoria técnica.

Mas a indigência da Câmara, que opera no varejo clientelista que fabrica votos e multiplica mandatos, não permite que ela chegue sequer perto de cumprir a sua missão, de modo que a caixa preta do Executivo continua intocada no Legislativo.

Não por acaso, não havia vereadores na Conferência. E da Prefeitura de Campos, compareceu apenas o presidente do Fundo de Desenvolvimento de Campos (Fundecam), Eduardo Crespo – que, a propósito, e como não poderia deixar de ser, parabenizou a iniciativa e se colocou à disposição para contribuir com o movimento.

As tentativas de controle social são muito bem-vindas. Quando não se desmantelam nas disputas por trampolins políticos, elas mostram que ainda há espírito público, ainda há setores da sociedade que não querem apenas tomar para si o dinheiro do município, mas ver este recurso devidamente empregado.

Durante a conferência, alguns expositores destacaram o papel estratégico da informação no exercício do controle social. Na experiência do movimento Rio Como Vamos, por exemplo, parceria com dois jornais e com mídias alternativas, especialmente da internet, ajuda a dar visibilidade ao trabalho e a mobilizar a sociedade. Em Campos, por enquanto, foi destacado o papel dos blogs, que há anos exercem informalmente um caráter de vigilância e, por diversas vezes, antecipam informações que são conhecidas do grande público, pela imprensa, algum tempo depois (blogs que recorrentemente fazem isso são o do professor Roberto Moraes, o do jornalista Ricardo André e o do advogado Cléber Tinoco).

Toda a triste história recente do município poderia ter sido diferente se a sociedade, a imprensa e a Câmara de Vereadores não tivessem sido tão omissas, negligentes ou cúmplices. Não fossem as investigações policiais, especialmente da Polícia Federal e do Ministério Público, toda aquela farra que culminou com a Operação Telhado de Vidro teria continuado.

Ou será que continua?

[Artigo publicado na edição de hoje do Monitor Campista]

sexta-feira, junho 26, 2009

Neste sábado tem Cine Jornalismo AIC

Neste sábado, 27, é dia de Cine Jornalismo AIC, com o filme O Jornal e comentários do jornalista Álvaro Marcos. O Cine Jornalismo acontece de março a novembro, sempre às 16h do último sábado do mês, na Associação de Imprensa Campista (Formosa, 460). A programação completa de 2009 está aqui.

Bienal do Livro de 2010 poderá ser na Uenf

Foto: César Ferreira / FCJOL

Depois da inauguração de uma sala de cinema, o presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Avelino Ferreira (e), visitou ontem as instalações do Centro de Convenções da Uenf e passou a considerar a possibilidade de realizar, em 2010, a Bienal do Livro no local.


Ele considerou boa a infraestrutura do Centro, com banheiro exclusivo para portadores de nescessidades especias, sala de cinema, salas para oficinas e palestras, amplo estacionamento, ponto de taxi, ponto de ônibus em frente, encubadoras de empresas ao redor, concha acústica, cozinha industrial, painéis para exposições, entre outras funcionalidades.


A primeira Bienal do Livro de Campos, em 2000, foi realizada no então Cefet (hoje IFF). As demais aconteceram no Parque de Exposições da Pecuária.

quinta-feira, junho 25, 2009

Passeata de jornalistas em Macaé

Os jornalistas de Macaé vão realizar na segunda, 29, às 11h, passeata no centro da cidade, com concentração na Praça Veríssimo de Melo. Os organizadores pedem que os coleguinhas compareçam com roupa preta e nariz de palhaço. Também são bem-vindas faixas com frases em favor do diploma de jornalismo.

Ato contra o "AI5 digital"

Entidades convocam para ato público no dia 01 de julho, às 18h, no auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) (Rua Araujo Porto Alegre, 71 no Centro do Rio de Janeiro), em protesto contra o "AI5 digital!", que como está sendo chamado o projeto do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que criaria restrições para a internet.


[Clique na imagem para ampliar]

Como ficou depois do STF

A Fenaj orienta aqui sobre registro de jornalista e sindicalização. Até segunda indicação, tudo continua como antes.

Cabezas Cortadas no Cine Café às 7

Amanhã, sexta-feira, dia 26/06, às 19h, no Sesc Campos o Cine Café às 7, projeto que no mês de junho dedicou-se a exibir filmes do Cineasta brasileiro Glauber Rocha exibirá o filme "Cabeças Cortadas", 1970.

Sinopse:

Dentro de um castelo, em alguma parte do Terceiro Mundo, Diaz, um rei sem coroa, tem lembranças delirantes. Em sonho, realiza uma viagem, escraviza índios, trabalhadores e camponeses. Nessa viagem, descobre suas origens. Diaz tem novas visões: suas vítimas ameaçam destruí-lo. Um pastor o amedronta e fascina. Nos arredores do castelo o pastor realiza milagres. O delírio de Diaz cresce à medida que descobre não ter poder. Descobre uma camponesa que para ele é o símbolo da pureza. Diaz aceita a idéia da morte. Sabendo que o pastor acabará matando- o, organiza no castelo uma cerimônia que parece ser seu funeral. O pastor mata Diaz e liberta a camponesa.




Local: Sesc Campos

Data: 26/06 (sexta-feira)

Hora: 19h

quarta-feira, junho 24, 2009

Rock`n`Roll e Solidariedade

Aconteceu, terça-feira, dia 23/06 a reunião que tinha como objetivo organizar um evento musical em solidariedade/ homenagem ao Luiz Ribeiro, Guitarrista, vocalista da banda Avyadores do Brazil.
A reunião foi realizada na Taberna D. Tutty, e nela ficou decidido a realização de "uma grande corrente com os artistas da nossa nação goytacá, no dia 12 de julho, a partir das 15h até a virada do dia 13 de julho, Dia Internacional do Rock, em homenagem ao nosso querido amigo e parceiro Luiz Ribeiro, precursor do Rock em Campos", afirmou Artur Gomes.
Em 1972, Luiz Ribeiro, com sua banda Lúcia Lúcifer, começava a "rolar as pedras"por aqui, e nestes 37 anos foi um militante do Rock em terras planas.
Diversos músicos e artistas goytacás  já aderiram a proposta, entre eles estão: Lolô, Cris Dalan, Leo Navarro, Reubes Pess, Fernando Rossi, Dalton Freire, Nelsinho Meméia, Bia Reis, Adriana Medeiros (e grupo de montagem do Urural), Hélio Coelho, entre outros. A lista para participar desta corrente/evento está aberta a todos que produzem cultura, poetas, atores, músicos, contadores de histórias etc. Sendo que, quem quiser participar, pede-se que confirme a participação até o dia 08 de julho pelo e-mail fulinaima@gmail.com
Além da Homenagem ao Luiz Ribeiro, ficou determinado, em reunião, a elaboração de uma abaixo assinado à Câmara Municipal de Vereadores de Campos dos Goytacazes, solicitando a criação de um Projeto de Lei instituindo o dia 06 de maio (dia do aniversário de Luiz) como o Dia Municipal do Rock And Roll.

foto: Wellington Cordeiro

Termina a I Conferência de Controle Social de Campos

Terminou neste momento a I Conferência de Controle Social, iniciativa de um projeto de extensão da Uenf que busca reunir entidades para exercer, de modo contínuo, a fiscalização sobre a utilização dos recursos públicos. O projeto é coordenado pelo professor Hamilton Garcia.

Foram apresentadas experiências de movimentos semelhantes e o papel de agentes públicos, como a Controladoria Geral da União e a Agência Nacional do Petróleo (ANP). A conferência foi realizada no auditório Cristina Bastos, no Instituto Federal Fluminense (IFF).

Antes das considerações finais dos expositores, teve destaque a participação, na sessão de debates, do presidente do Fundo de Desenvolvimento de Campos (Fundecam), Eduardo Crespo, único representante do poder público municipal. Segundo ele, houve uma parcela da sociedade que ficou “viciada” com a disponibilidade de recursos públicos e isso precisa ser revisto.

Segundo Crespo, houve em Campos um processo de desorganização do trato dos recursos públicos. “O CPF da gente está ardendo”, disse.

Também fizeram perguntas e avaliações outros presentes na platéia, entre eles o professor e blogueiro Roberto Moraes, a professora Graciete Santana, e o “cidadão” – como se identificou – Douglas da Mata.

Nos posts abaixo foram feitos outros registros das participações dos expositores do evento.

I Conferência: Debatedores fazem balanço das participações

A última parte da I Conferência de Controle Social, antes da abertura de perguntas para a platéia, contou com as participações de debatedores que analisaram as exposições anteriores e acrescentaram novas observações. Os escolhidos pela organização para o debate foram o presidente regional da Firjan, Geraldo Coutinho, e o dirigente do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), Fábio Siqueira.

Coutinho destacou a ousadia do movimento que organizou a conferência, registrando que o maior desafio é o da mobilização da sociedade. “O que fazer para aglutinar todas estas inteligências que sonham com uma Campos melhor? E como fazer isso de modo permanente?”, ponderou o debatedor.

Enquanto Siqueira lembrou das dificuldades em obter dados do poder público local, identificando como “caixas pretas” a destinação de recursos dos royalties e do Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), além do importante papel dos blogs.

I Conferência: Projeto prioriza informação para gerar cidadania

O coordenador do projeto Piraí Digital, Franklin Dias Coelho, destacou há pouco, em sua exposição na I Conferência de Controle Social, que a informação deve ser tratada como política pública e serve de base para todos os demais direitos.

Para ele, os planos diretores dos municípios deveriam contemplar o direito à informação. “Em geral os planos não se preocupam com isso, cuidando mais dos aspectos urbanísticos”, disse Coelho.

O coordenador também exibiu um vídeo, com trilha de Gilberto Gil, que mostra a distribuição de computadores em uma escola do município de Barra do Piraí, onde funciona o projeto de extensão da Universidade Federal Fluminense.

I Conferência: Blogueiro faz exposição com texto que já foi postado

Exposição que o blogueiro e advogado Cléber Tinoco faz neste momento na I Conferência de Controle Social já foi postada, em parte, aqui, em seu próprio blog, como exemplo de agilidade da ferramenta.

Ele foi convidado para representar a Rede Blog, mostrando como os blogs podem ser ferramentas importantes na fiscalização do poder público. "Os blogs quebraram o monopólio da informação em Campos", disse.

I Conferência: Representante explica funcionamento da CGU

Técnico da Controladoria Geral da União (CGU), Antônio Barros, terminou há pouco sua participação na I Conferência de Controle Social de Campos. Ele mostrou a atuação do órgão do Poder Executivo e destacou que a fiscalização dos municípios não é viável sem a participação da sociedade.

A CGU mantém programas como o “Olho vivo no dinheiro público”, que desenvolve ações educacionais e de estímulo da participação dos cidadãos na fiscalização dos recursos públicos. A Controladoria treina conselheiros municipais para fiscalizar o dinheiro público, com visitas aos municípios (educação presencial), educação à distância, elaboração de material didático, fomento à formação de acervos técnicos e cooperação institucional entre órgãos e ministérios.

Qualquer cidadão pode pedir as publicações editadas pela CGU para estimular a fiscalização. Segundo Barros, cerca de 200 cartilhas são enviadas por dia para todo o país. Os pedidos podem ser feitos pelo e-mail gfoco@cgu.gov.br.

Como exemplo de transparência desejada dos órgãos públicos, ele citou o próprio exemplo da CGU: “a passagem aérea que usei hoje foi paga pela CGU e o seu registro já está no site, com meu nome e porque foi feito”.

I Conferência: Economista explica papel da ANP

Representando a Agência Nacional de Petróleo durante a I Conferência de Controle Social de Campos, o economista Rodrigo Serra explicou o modo de distribuição dos royalties do petroléo para municípios, estados e União.

Ele destacou que há duas formas de cálculos para os recursos: uma para o repasse de até 5% e outro para o que excede este montante. O município de Campos, por exemplo, recebe mais royalties pela parcela excedente do que a que está contida nos 5%.

No repasse de março de 2009, quando Campos recebeu cerca de 27 milhões em royalties, apenas 2,4 milhões eram referentes à parcela de 5%. Todo o restante é de royalties excedentes.

O município tem localização privilegiada na confrontação com poços e com campos de petróleo, tanto pelo critério das linhas ortogonais quanto pelo critério das linhas paralelas. As linhas são projeções dos limites do município sobre o oceano e são definidas pelo IBGE.

Serra explicou que não cabe à ANP fiscalizar a aplicação dos recursos dos royalties, apenas zelar pela fiscalização da produção para calcular os repasses. Ele também lembrou que municípios não precisam contratar assessorias para se relacionar com a ANP, que estimula a relação direta.

I Conferência: Movimento no Rio zela pela boa governança

Terminou há pouco a exposição da assessora técnica do Movimento Rio Como Vamos, Débora Santana de Oliveira. Inspirado no movimento Bogotá Como Vamos, a versão carioca articula diversas entidades e empresas para exercer controle de dados sobre as pólíticas públicas na cidade do Rio de Janeiro.

"O objetivo é zelar pela boa governança e estimular a população a lutar pela melhoria de qualidade de vida", disse Oliveira, explicando como a atuação está centrada na mobilização da sociedade para monitorar a qualidade de vida, medir indicadores técnicos e sua percepção, acompanhar políticas públicas, buscar transparência na gestão públicas e estímular a participação política.

Uma das estratégias do movimento foi estabelecer parcerias com a imprensa e com mídias alternativas. Os jornais O Globo e O Dia dedicam espaços para a publicação dos dados reunidos pelo movimento, assim como os demais veículos alternativos.

Buscando dados da administração municipal, o movimento consolidar informações que permitem identificar desigualdades, avaliar impactos das políticas públicas, articular as comunidades e subsididiar os movimentos sociais.

Neste momento faz exposição o economista Rodrigo Serra, da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

I Conferência: Expositor lembra dificuldades em compartilhar o poder

O pró-reitor de pesquisa e pós-graduação do IFF, Hélio Gomes Filho, foi o primeiro expositor da noite na I Conferência de Controle Social. Ele falou sobre sua experiências em tentativas locais exercer controle social e lembrou o momento de elaboração do Plano Diretor do Município, que reuniu movimentos e lideranças de diferentes tendências ideológicas.

“Precisamos resgatar esssa vontade de crescer e desenvolver a despeito das diferenças”, disse Gomes Filho.

O expositor lembrou que “eleição não é cheque em branco" e que a sociedade precisa ser vigilante. No entanto, há resistência por parte dos governos, já que conviver com o controle social significa abrir mão em parte do exercício do poder.

"Do ponto de vista do governante, abrir canais de comunicação para a população é até estratégico. O chefe do poder executivo pode fazer uma série de coisas que pode tornar a cidade menos expolsiva, menos tensa, mas tem que abrir mão do exercício do poder. É um exercício mais sutil e compartilhado do poder", disse.

Neste momento, faz exposição a assessora técnica do Movimento Rio Como Vamos, Débora Santana de Oliveira.

Começa I Conferência de Controle Social de Campos

Começou há pouco no auditório Cristina Bastos, do Instituto Federal Fluminense (IFF) a I Conferência de Controle Social de Campos. O professor Hamilton Garcia, responsável pelo Projeto de Exetensão da Uenf que reuniu as entidades do municípios com a proposta de organizar a fiscalização das políticas públicas, abriu o evento explicando a proposta da conferência.

Também participam da mesa de abertura representantes das instituições organizadoras: Cibele Daher (IFF), Marcelo Gantus (CCH-Uenf) e José Francisco (Fórum das Entidades).

Nova sala de cinema em Campos

A Uenf inaugura nesta quinta, 25, às 18h, a Sala de Cinema do Centro de Convenções da universidade, com a exibição de um trecho do documentário 'Darcy Ribeiro: o guerreiro sonhador'.


Segundo a reitoria, a sala foi equipada com recursos da Faperj e "passa a se constituir no mais novo espaço cultural da cidade de Campos, dedicando-se prioritariamente à exibição de mostras e filmes que divulguem temas científicos ou educativos e promovam a reflexão sobre a ciência".

Na próxima terça, 30, começa a mostra 'Natureza Fluminense', com vídeos produzidos e dirigidos pelo professor Ronaldo Novelli, do Laboratório de Ciências Ambientais da Uenf. De 30 de junho a 03 de julho serão realizadas três sessões diárias, nos horários das 9h30, 14h e 16h.

As sessões são gratuitas e abertas para todos os interessados.


[Clique na imagem para ampliar]

I Conferência em nota do Globo

Enfim Campos não é notícia em razão dos casos de corrupção, mas pelas iniciativas da sociedade em tentar combatê-las. Abaixo, reprodução de nota de hoje da coluna de Flávia Oliveira, em O Globo.
[Clique para ampliar]

O granito do Arnaldo

Recuperação das pedras portuguesas é um dos ítens do projeto de revitalização da Lapa, no Rio, que o prefeito Eduardo Paes anuncia hoje. Em Campos, o ex-prefeito Arnaldo Vianna cometeu o crime de removê-las da Praça São Salvador.

Uenf, entidades e blogs discutem hoje controle social em conferência no IFF

Projeto da Uenf em parceria com várias entidades de Campos realiza hoje a I Conferência Local de Controle Social. O evento será a partir das 18h30, no auditório Cristina Bastos, no Instituto Federal Fluminense (IFF).

A programação inclui exposições de Silvério Freitas (UENF), Roberto Moraes (IFF) e José Francisco (FPECCR), Débora Carvalho (Assessora Técnica do Rio Como Vamos),
Rodrigo Serra (Economista da ANP), Roni Enara (Diretora Executiva do Instituto da Cidadania Fiscal), Fábio Silva (Gerente de Fomento ao Fortalecimento da Gestão e Controle Social da CGU), Franklim Dias (Pró-Reitor de Extensão da UFF/Niterói) e Cléber Tinoco (Advogado, representante da Rede Blog - Campos).

O objetivo do movimento, que já realizou duas reuniões, é formar uma estrutura de vigilância permanente de controle dos atos da administração municipal, exercendo a fiscalização das contas e da aplicação de políticas públicas.

terça-feira, junho 23, 2009

Por uma greve nacional dos jornalistas

Jornalista não faz greve. Jornalista cobre greve. Jornalista não reivindica. Registra as reivindicações da sociedade. De tanto pensar assim, a categoria, mesmo acusada de ser corporativista, tem se comportado com uma candura submissa diante dos duros golpes que sofre.

As entidades que nos representam mal conseguem encaminhar os nossos temas, dada a nossa falta de participação. Só ouço jornalista falar em sindicato quando é para “tirar registro” ou quando é para reclamar que nada fazem, quando ele mesmo nem sabe a última vez que esteve em uma assembleia — se é que já esteve em alguma.

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o diploma nos torna ainda mais frágeis enquanto categoria profissional e, por enquanto, estão sendo tímidas as nossas reações. Pense se um golpe proporcional a este tivesse sido sofrido por metalúrgicos, petroleiros, bancários, caminhoneiros ou advogados e imagine a reação.

Mas jornalistas não se vêem como trabalhadores. Jornalistas não se pensam coletivamente. Cada um é uma ilha de talento que é capaz de suportar qualquer contratempo da profissão. Ele se garante. E aí está a dificuldade.

Sugiro que passemos a considerar a hipótese de realização de uma greve nacional dos jornalistas. Nem que seja uma paralisação de 24 horas. Vamos ver o que ainda resta de brio nestes profissionais. Vamos testar se a indignação consegue sair das listas de e-mail, blogs e comunidades virtuais para algo mais concreto e legítimo para qualquer profissão, que é causar prejuízo econômico aos empregadores quando um ataque é feito à categoria.

Sei da pouca tradição que temos nestes assuntos de greve. Sei que fura-greves e todo o aparato tecnológico garantirão que emissoras e sites não saiam do ar e impressos não deixem de circular, mas mesmo assim haveria um impacto significativo se ao menos 30% dos jornalistas brasileiros cruzassem os braços por um dia e se concentrassem em manifestações nas praças das principais cidades.

Muitas assessorias e escolas de jornalismo, que não estão submetidas ao jugo do patronato autoritário de boa parte da mídia, poderiam ser mobilizadas para dar mais corpo à greve, e ajudar a buscar a adesão dos jornalistas das redações para a mobilização.

Creio também que a solidariedade manifestada por várias entidades do campo da comunicação, associada ao apoio de sindicatos e associações de outras categorias, daria o suporte material e político necessário para a greve país afora.

Vamos ao menos discutir seriamente a possibilidade?

Senador vai propor PEC para restaurar exigência da formação superior para jornalistas

"O senador Antonio Carlos Valadares (PSB), também se manifestou contrário a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que julgou inconstitucional o decreto lei 972/69, que exigia a graduação para o exercício da profissão de jornalista. Valadares vai apresentar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), para que o diploma volte a ser exigência para o exercício da profissão.

Na manha desta terça-feira (23), em entrevista ao programa Liberdade sem Censura, o senador Valadares disse que já está sendo feito um estudo para a apresentação da PEC. Segundo ele, alguns senadores como João Pedro, do PT do Amazonas, e o democrata José Agripino Maia (RN), também já se manifestaram favorável ao seu projeto. Valadares afirma que é preciso que seja feito um estudo minucioso, averiguando o caso dos jornalistas provisionados, que adquiriram o direito de exercer a profissão. Para ele, não é justo que alguém que fez sacrifício para concluir o estudo, agora não sirva para nada. “Profissionais bons e ruins existem em todas as áreas e isso não é motivo para a não exigência do diploma”, explica o senador.

Valadares disse também que a PEC já está sendo analisada pela assessoria jurídica e que, a partir da próxima semana, começará a colher assinaturas necessárias para a sua apresentação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado."

Do site Plenário, íntegra aqui.

Solidariedade

A rede que se formou a pouco tempo, Blogueiros Desocupados, fará uma reunião hoje (23/06) a partir das 21h na Taberna D. Tutty - Rua das Palmeiras do outro lado da 28 de março em frente ao Parque Alzira Vargas - em solidariedade ao líder da banda Avyadores do Brasil, Luiz Ribeiro, que voltou a ser internado com estado de saúde bastante delicado.

O objetivo da reunião é "organizar um grande evento com muita música em sua homenagem para o mês de Julho", esclarece Artur Gomes, um dos Desocupados.

Fica o convite para quem quiser comparecer e contribuir.



Foto: Yuri Amaral

segunda-feira, junho 22, 2009

Protestos de Jornalistas e estudantes

Manifestações hoje no Rio, em São Paulo e Brasília.

Limpeza no Canal Campos-Macaé

Foto: Gerson Gomes/Secom PMCG
A Prefeitura de Campos anuncia aqui, com release de Regina de Oliveira, que começou hoje o trabalho de limpeza do Canal Campos-Macaé. A administração municipal não faz mais do que sua obrigação, e muito menos do que se espera para o lugar, que é um projeto de revitalização decente. Por enquanto, só limpeza e pinturinha.

Interior.com comemora bons resultados no Ibope

Reprodução
O programa Interior.com, com qualidade muitíssimo superior à média das produções regionais, comemora bons resultados de audiência. Em folder que a VCE produções enviou a anunciantes, quadro com dados do Ibope-Mídia Quiz mostra que o programa obteve, em abril deste ano, audiência de 10,97%, ficando, na região, em quinto lugar entre todos os programas exibidos pela Record.

Com 11,61%, o Balanço Geral, outro programa local, ficou em quarto lugar na região. Os três primeiros colocados são atrações nacionais: Jornal da Record (12,35%) e as novelas Promessa de Amor (16,08%) e Poder Paralelo (17,18%).

A região abrangida pela Record local possui cerca de 1,5 milhão de habitantes, incluindo Norte, Noroeste e Lagos Fluminense. A audiência do Interior.com está em torno dos 156 mil espectadores.

Nota da Intercom

INTERCOM lança nota oficial sobre a decisão do STF a respeito do diploma de jornalista

Por certo, nenhuma atividade existe na dependência exclusiva de um diploma, seja lá ele de que nível for. E isso vale também para o Jornalismo. Mas em países como o Brasil, onde o peso do poder econômico é imenso e imponderável, regras são necessárias. E essas regras foram, por força da decisão do STF, se não quebradas, ao menos, dificultadas.

Como na Intercom convivem diferentes posições a respeito da exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão, não cabe à entidade pronunciar-se a respeito. Mas a entidade expressa, sim, sua preocupação pelos termos e expressões utilizadas pelos Exmos. Srs. Integrantes do STF quando do julgamento da causa, assim como o aparente desconhecimento do que seja, de fato, a essência da atividade do Jornalismo, em qualquer lugar do mundo. Reduzi-lo à cozinha é, deveras, lamentável. Verificar que, para os integrantes do STF, a prática do jornalismo não é especialidade nem demanda conhecimento específico, é preocupante.

De qualquer modo, a INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação tem confiança na qualidade de ensino que vem sendo desenvolvida em nossas Universidades e, particularmente, em nossas Faculdades de Comunicação; na responsabilidade de nossos profissionais do jornalismo; no idealismo e na confiança dos estudantes de Comunicação Social, e, por isso, acredita que este debate pode ser revertido em prol da real liberdade, não apenas da expressão, tão mencionada pelo STF, quanto na verdadeira liberdade de informação, tão esquecida pelo mesmo tribunal.

Direção da INTERCOM

Do site da Intercom, aqui.

Cineclube Sesc - Programadora Brasil

O Cineclube Sesc, que no mês de junho exibe filmes tendo como temática o Cinema Novo, exibirá o filme "A Hora da Estrela", de Suzana Amaral (1985).

Uma mostra de que Cinema Novo continua sendo uma forte referência e exerce influência na realização de filmes contemporâneos.



"A Hora da Estrela", de Suzana Amaral (1985)

Às 19h, no Sesc Campos

Data: 23/06  (terça-feira)




As exibições acontecem sempre as terças-feiras, às 19h e a entrada é gratuita.


domingo, junho 21, 2009

Longa vida à AIC

O prédio é cinzento e em local esfumaçado e barulhento. Seus traços dos anos 40 não escondem a idade. E sua robustez não deixa dúvida quanto à sua intenção de durar por muitas e muitas gerações. A tinta desbotada, o forro em mau estado, as portas e janelas fragilizadas, por outro lado, mostram que mesmo os mais valentes inspiram cuidados.

Esta é a sede da Associação de Imprensa Campista (AIC), entidade que completou 80 anos no último dia 17 – e comemorou ontem com pinta de velhinha assanhada, se mexendo sob o samba de Lene Moraes. O prédio, na Rua Formosa (que me recuso a chamar de Tenente Coronel Cardoso), próximo ao cruzamento com 13 de Maio, merece ser mais conhecido pelos campistas e ser definitivamente incluído entre os bens tombados do município.

Ele já é protegido pela área de interesse histórico do Centro, o que lhe garantiu documento que determina a preservação da fachada e fez ser removida uma indecorosa janela de vidro azul que um dos inquilinos manteve por anos em uma das salas com vista para a rua.

A associação é mais antiga que a maioria dos veículos de comunicação da cidade, e tem vocação para ser um local para abrigar um possível museu da imprensa, numa região que tem certa tradição no ramo – especialmente em razão da saga deste Monitor Campista, com seus 175 anos.

Além disso, a AIC tem sido uma aliada importante na defesa do jornalismo de qualidade e da organização dos jornalistas, servindo também de sede para a representação local do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, entidade que já passou dos 50 anos e também inspira cuidados por parte da categoria – e, diferentemente da associação, ainda não goza do conforto de ter uma casa própria.

Neste momento em que o jornalismo é fortemente impactado pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de extinguir a necessidade de formação universitária na área para o exercício da profissão, tanto os jornalistas quanto a sociedade precisam cuidar das instituições que historicamente defendem a democracia e a liberdade de expressão.

Uma desvirtuação do debate acerca do diploma provocou a interpretação equivocada de que os jornalistas e suas entidades seriam contrários à livre difusão de idéias. Justamente o jornalismo e os jornalistas, historicamente perseguidos em razão da luta pelo direito de publicar as diferentes vozes da sociedade.

Esta mesma AIC, que pode ser vista como excessivamente vetusta pelos que não a conhecem de perto, abrigou palestras de comunistas em tempos sombrios, convenções de partidos e movimentos de diferentes tonalidades ideológicas.

Para o bem de Campos e do jornalismo, vida longa à AIC.

[Artigo publicado na edição de hoje do Monitor Campista]

O dia da Rede Blog

Estive off line neste fim de semana (enfim!), e não sei como foi hoje a Rede Blog. Alguém aí pode informar quais blogs postaram sobre o tema "Controle social sobre o poder público em Campos", vencedor da enquete?

sexta-feira, junho 19, 2009

Samba dos 80 anos da AIC


Amanhã, às 19h, todo mundo no samba dos 80 anos da Associação de Imprensa Campista (AIC), na sede da entidade (Formosa, 420), com Lene Moraes e edição especial da Noite do Vinil. Durante o dia, os associados também participam de eleição para nova diretoria. Mais informações no blog da AIC, aqui.

quinta-feira, junho 18, 2009

Posição da ABI sobre o fim da obrigatoriedade de formação superior em jornalismo

"A ABI tem razões especiais para lamentar esse fato porque, já em 1918, há mais de 90 anos portanto, organizou o 1º Congresso Brasileiro de Jornalistas e aprovou como uma das teses principais a necessidade de que os jornalistas tivessem formação de nível universitário. Com esse fim, chegou a aprovar a possível grade curricular do curso de Jornalismo a ser implantado.

A ABI espera que as entidades de jornalistas, à frente a Federação Nacional dos Jornalistas-Fenaj, promovam gestões junto às lideranças do Congresso Nacional, para restabelecer aquilo que o Supremo Tribunal está sonegando à sociedade: um jornalismo feito com competência técnica e alto sentido cultural e ético”.

De Maurício Azêdo, Presidente da ABI. Aqui.

Jornalismo perde com fim da obrigatoriedade do diploma

A decisão do STF que derrubou a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para o exercício da profissão é um retrocesso para os que, como eu, entendem a atividade como detentora de especificidades técnicas, responsabilidades éticas próprias e uma cultura singular.

E estes requisitos, entendemos, têm como locais ideais para sua gestação os ambientes das escolas de jornalismo, e não o mercado das empresas jornalísticas.

O principal argumento para a derrubada do diploma, o de que ele cercearia a liberdade de expressão, é algo que já não se sustentava nas formas tradicionais de imprensa. Foi o jornalismo, inclusive, que por diversas vezes deu voz aos que não poderiam, por outros meios, expressar suas opiniões — além de conviver com as visões de comentaristas, articulistas e leitores.

Agora, com todas as possibilidades técnicas de registro e narrativa do mundo, fica ainda mais desnecessário ser jornalista para fazê-lo, o que é ótimo, amplia a possibilidade do livre exercício da expressão, da cidadania, da profusão da informação. No entanto, jornalismo é um tipo específico de registro e de narrativa.

A “confusão” em que incorreu o ministro Gilmar Mendes, ao misturar noções diferentes, embora próximas, de jornalismo com liberdade de expressão, é a mesma em que incorreram muitos midialivristas. Estes, bem intencionados, em defesa pertinente das novas formas de profusão da informação. O primeiro, com intenções que podem não ser tão nobres.

Com a queda do diploma, os jornalistas se enfraquecem enquanto profissionais. Mesmo com toda a fragilidade histórica da categoria, isso ainda evitava que absurdos ainda maiores do que os já praticados pela imprensa fossem cometidos. Agora, as empresas jornalísticas estão mais à vontade para fazerem o que bem entenderem da atividade — e não por acaso, elas estão entre os que provocaram a decisão do STF.

Em muitos países o diploma não é exigido, e a sociedade encontrou meios diferentes de legitimação. Os Estados Unidos estão entre estes, onde o mercado prefere jornalistas formados. Cada nação construiu um jeito próprio de lidar com o tema.

No Brasil, ao longo de décadas, os jornalistas ajudaram a construir uma certa legitimidade acerca da sua atividade, um sentimento de que ela era necessária. E foram estes jornalistas que, há mais de 60 anos, criaram os primeiros cursos superiores de jornalismo. Agora, resta saber o que sobrará desta construção e como o jornalismo será reinventado.

Fenaj: empresas definirão acesso à profissão

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) se reúne hoje, às 13h, para avaliar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou ontem a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para o execício da profissão. Ontem, o presidente da Federação, Sérgio Murilo, registrou a sua indignação: “o relatório do ministro Gilmar Mendes é uma expressão das posições patronais e entrega às empresas de comunicação a definição do acesso à profissão de jornalista”.

Mais, aqui.

Cine café às 7

Dando continuidade ao Cine café às 7 do mês de junho, que tem suas sextas-feiras dedicada aos filmes de Glauber Rocha, um dos grandes nomes do Cinema Novo, amanhã, 19/06, às 19h será exibido o filme “O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro”.




Sinopse:

Um dia, numa cidadezinha chamada Jardim das Piranhas, aparece um cangaceiro que se apresenta como a reencarnação de Lampião. Seu nome é Coraina. Anos depois de ter matado Corisco, Antônio das Mortes vai à cidade para ver o cangaceiro. Não vem por dinheiro, quer apenas provar se é verdade mesmo. É o encontro dos mitos. E tem início o duelo entre o dragão da maldade e o santo guerreiro. Mas esta história tem seus demais personagens que vão povoar o mundo de Antônio das Mortes. Entre eles, um professor desiludido e sem esperanças, um coronel com delírios de grandeza, voltando para um passado distante, um delegado com ambições políticas e uma mulher, Laura, vivendo uma trágica solidão. Todos são envolvidos na ação dirigida por Antônio e seus contraditórios conceitos de moral e justiça.


Entrada gratuita
Local: SESC Campos

quarta-feira, junho 17, 2009

Ainda o diploma

Entre exportação de pneus, cobranças de pulsos telefônicos, brigas fiscais, entre outras demandas, o caso do diploma dos jornalistas poderá ser julgado hoje pelo STF. É o que prevê a pauta, aqui.

terça-feira, junho 16, 2009

"Que se multipliquem os blogs alternativos"

"Que se multipliquem os blogs alternativos - estatais e públicos não governamentais -, para quebrar esse monopólio fundado no dinheiro e na mentira, para que fiquem reduzidos ao que são - órgãos da ditadura privada do dinheiro e da opinião mercantil - e que se possa construir no Brasil uma opinião pública democrática e pluralista, sem a qual nunca seremos um país democrático e soberano."

De Emir Sader, sobre o blog da Petrobras, íntegra aqui.

segunda-feira, junho 15, 2009

Avyador no Hospital Dr. Beda

Luizz Ribeiro, blogueiro, vocalista, fundador e guitarrista da banda Avyadores do Brazyl está internado no hospital Dr. Beda. O velho roqueiro está com problemas desde o mês de maio. As coisas pareciam simples no começo mas agora estão se complicando. Por enquanto, ele está precisando da nossa força e de nossas visitas. É só ligar para o hospital e marcar. Nada melhor que uma conversa com o bom e velho Avyador para saber como anda realmente a sua saúde.
Luizz dispensa apresentações, mas só para lembrar, além de músico na Avyadores do Brazyl, apresentou durante anos o programa Nota Sobre Nota na Uni TV e mantém o blog Paralapathones.

Participe da enquete da Rede Blog

Está no ar, ao lado, a enquete da Rede Blog, que escolhe o tema que os blogueiros participantes terão como sugestão de pauta no próximo dia 21. Participe!

"São Paulo Sociedade Anônima" no cineclube Sesc

Nesta terça-feira, dia 16 de junho, o cineclube sesc - que conta com a parceria da Programadora Brasil - exibirá o filme São Paulo Sociedade Anônima, de  Luiz Sérgio Person , SP, 1965.
O mês de junho está sendo dedicado ao Cinema Novo, movimento cinematográfico brasileiro reconhecido mundialmente.



Ficha Técnica:
Grande painel sobre o impacto das transformações sociais e econômicas na cidade de São Paulo provocadas pelo surto da implantação da indústria automobilística no Brasil, sob a ótica de um indivíduo em ascensão. Após casar-se, ter amantes e progredir socialmente, unindo-se a um empresário do setor automobilístico, ele entra em crise e tenta abandonar sua carreira e sua vida conjugal.

Título: São Paulo Sociedade Anônima

Duração: 107 min e 0 seg. 
Ano: 1965
Cidade: São Paulo UF(s): SP País: Brasil
Gênero: Ficção
Direção: Luiz Sérgio Person 
Roteiro: Luiz Sérgio Person

domingo, junho 14, 2009

Antes e depois do blog da Petrobras

A comunicação institucional no Brasil, daqui a alguns anos, será estudada levando-se em conta um antes e um depois do blog da Petrobras (petrobrasfatosedados.wordpress.com). A ferramenta, criada no último dia 2, provocou polêmica entre jornalistas e mereceu, por um lado, críticas de alguns dos principais jornais do país e nota de repúdio da Associação Nacional de Jornais (ANJ), enquanto que, por outro, obteve apoio de muitos internautas e nota favorável da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

A ANJ disparou no dia 8: “A Associação Nacional de Jornais (ANJ) manifesta seu repúdio pela atitude antiética e esquiva com que a Petrobras vem tratando os questionamentos que lhe são dirigidos pelos jornais brasileiros, em particular por O Globo, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, que nas últimas semanas publicaram reportagens sobre evidências de irregularidades e de favorecimento político em contratos assinados pela estatal e suas controladas”.

A ABI rebateu no dia seguinte: “A criação do blog constituiu-se em instrumento de autodefesa da empresa, que se encontra sob uma barragem de fogo crítico disparado por vários veículos impressos. Não se poderá alegar que é assegurado à empresa o direito de resposta, uma vez que quando este for exercido a informação nociva já terá produzido afeitos adversos. Ademais, é conhecido principalmente dos jornalistas o tratamento que a imprensa concede tradicionalmente ao direito de resposta, se e quando o reconhece e o acata: a informação imprecisa ou inidônea é divulgada com um destaque e uma dimensão que não se confere à resposta postulada e concedida”.

A Petrobras reconsiderou o tratamento dado às perguntas feitas pelos jornalistas. Inicialmente elas, junto com as respostas da empresa, eram publicadas no mesmo dia da apuração, antes da divulgação das matérias (no jargão jornalístico, a assessoria “furava” o próprio veículo de comunicação, o que foi o principal motivo das críticas). Depois a empresa se comprometeu em publicar apenas depois da 0h do dia em que a matéria é veiculada.

Mas não será em razão desta polêmica que o blog da Petrobras será lembrado como um marco da comunicação institucional. Será apenas pela sua adoção, o que antes não era bem visto por políticas mais conservadoras de comunicação. Mesmo depois de quase uma década de larga utilização dos blogs, e do inegável avanço democrático que eles proporcionaram, ainda há instituições – inclusive jornalísticas – que não assimilaram bem um tempo onde não são mais os donos da informação, mas apenas um dos seus agentes.

Blogs já vinham sendo utilizados por empresas e instituições, mas ao ganhar a adesão de uma empresa do porte da Petrobras, este tipo de ferramenta tende a se consolidar até entre os mais resistentes.

sexta-feira, junho 12, 2009

Desocupados e mais desocupados

Foto: http://donamargaridadecampos.blogspot.com/
O e-mail do urgente! (colaboraurgente@gmail.com) continua recebendo apelos dramáticos, manifestações entusiasmadas, reclamações eloquentes entre outros assemelhados. Confira as mais recentes contribuições:


O fotógrado Di Donato manda avisar que lançou a campanha "Feijó me paga", para receber o que diz ter direito por ter feito a campanha do candidato. Aqui:

O Davi Vieira, de Macaé, envia link para o vídeo que ele diz estar bombando na cidade. É o xote da Prefeitura. Aqui:

E o bravo Victor Montalvão manda link do blog da dona Margarida (foto), que, assim como o João Buracão, anda pela cidade para mostrar o seu abandono. Aqui:


Vamo que vamo!

Bando de espíritos de porco...

Dona Auci mandou link para este vídeo delicioso e, como sou blogueiro e desocupado, divido com vocês: Como Fazer Uma Monografia Pseudo-Intelectual Nota 10 .

Belina 2 estaciona hoje em São Francisco

O povo da Belina 2 se apresenta hoje, às 21h, no Recanto Vó Carmita, em São Francisco do Itabapoana. Com a banda, a atriz, socióloga e espírito de porco Simone Pedro, que explica a proposta: "se você é do tipo que todo ano dá aquele presentão da Fashion Bijou ou da Parada Obrigatória para sua namorada, enrolado naquele liiiindo papel selofane vermelho, não pode perder a grande sensação musical do momento". Mais sobre essa coisa fofa, aqui.

quinta-feira, junho 11, 2009

A pele da película

O título acima é o nome de uma mostra de cinema que acontece entre os dias 16 e 28 deste mês. Além dos filmes, a mostra conta também com conferências, palestras e até um curso sobre a história das projeções cinematográficas com o Professor e Doutor Tadeu Capistrano, da EBA/UFRJ.

O projeto está muito bacana e serão exibidos vários filmes que ainda não foram lançados no Brasil.

Para conferir direitinho os locais e horários de cada uma das atividades, dê uma olhada no site da mostra aqui.

quarta-feira, junho 10, 2009

Novo adiamento no julgamento do diploma

Como já era esperado pela própria Fenaj, em razão de uma pauta com muitos assuntos polêmicos, foi adiado o julgamento sobre a exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão. Mais, aqui.

"O blog da Petrobras e a praga das assessorias de imprensa"

Sobre a polêmica do blog da Petrobras, que hoje voltou atrás na prática de divulgar - antes da publicação - o teor de perguntas dirigidas a sua assessoria de imprensa, vale a pena a leitura do blog do jornalista Cláudio Abramo. Um dos trechos diz o seguinte: "Alguns assessores de imprensa limitam a sua atividade à função primordial, que justifica a sua existência. Muitos, porém, são na prática lobistas, atravessadores, traficantes de influência. Embora apresentadas como “facilitadoras”, grande parte das assessorias de imprensa contratadas por empresários e por burocratas do Estado na verdade tem a função de erigir uma barreira entre o fulano e a imprensa. Não trabalham em favor do fluxo de informações, mas no sentido oposto".

Exposição Joffre Maia aberta até dia 24

Foto: César Ferreira / FCJOL

"O presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Avelino Ferreira, abriu na terça-feira (09), no Palácio da Cultura, a exposição "Joffre Maia - Renovação da Arquitetura em Campos (1949-1963)", organizada por Rodrigo Espinosa e Teresa Peixoto, com fotografias de Leonardo Vasconcellos. Na oportunidade houve, ainda, mesa redonda composta pelos professores Teresa Peixoto Faria (Uenf), Regina Coeli (IFF), Leonardo Vasconcellos (IFF) e Luiz de Pinedo Quinto Jr. (IFF/Uenf), que discutiram a contribuição de Joffre Maia para a arquitetura, o urbanismo e o patrimônio cultural de Campos."



De Wesley Machado, da Assessoria da FCJOL. Íntegra aqui.

Desocupados e enrolados

Os senhores dos blogs abaixo ainda não enviaram sugestões de temas para a enquete da Rede Blog. Francamente!

2 - Aspectos - Wesley Machado - http://www.aspectos.blog.br/
3 - Comentários do Cotidiano - Fabio Siqueira - http://fabiosiqueira.blogspot.com/
4 - Converse com Sérgio Diniz – http://www.sergiodinizescreve.blogspot.com/
5 - Desenvolvimento de Erros - Sagaz - http://www.sagazcarvalho.net/blog/blog/
6 - Diário de Classe – Coletivo - http://ddclasse.blogspot.com/

Cobrir or not cobrir?

Enquanto o debate sobre a cobertura ou preservação do Canal Campos Macaé segue quente em post aqui do urgente!, o pessoal do blog do Instituto Historiar publicou excelente contribuição com informações sobre o patrimônio, incluindo as fotos abaixo [da obra que o tornou como é hoje e da forma como já foi antes de ser coberto pelo Parque Alberto Sampaio]. Mais fotos e informações aqui.

Uenf e entidades convidam para I Conferência de Controle Social

"Com a presença de técnicos e representantes de movimentos sociais do Rio de Janeiro, Maringá e de Campos, será realizada no próximo dia 24/06, às 18h30, no auditório do IFF (antigo Cefet Campos), a 1.ª Conferência Local de Controle Social. A realização da conferência foi acertada durante apresentação de um projeto de extensão da Uenf voltado para a mesma temática em reunião extraordinária do Fórum Permanente das Entidades Civis, ocorrido em 21/05, na sede da Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic). O encontro teve a presença de sindicatos, ONGs e associações, num total de 20 instituições."

Da Assessoria de Comunicação da Uenf. Íntegra aqui.

[comentário em destaque]

O que faz a EMUT?

"Eu me pergunto o que os senhores da EMUT fazem em seu horário de expediente.... Basta saber fazer operações simples da matemática (2 + 2 é suficiente) para detectar o alto índice de acidentados de trânsito que chegam diariamente nos hospitais locais.

Some a isto uma população absolutamente grosseira e com potenciais homicidas no trânsito. Digo isto pela frequencia com que vejo os motoristas derespeitando o sinal diariamente em todos os pontos da cidade!!!!! Eu sou motorista, pedestre e ciclista e todos os dias eu sofro as possibilidades de ser alvejado por irresponsáveis onde O PODER LOCAL É CONIVENTE E CÚMPLICE DIARIAMENTE ao não implementar medidas de coerção que sejam COTIDIANAS e não EPISÓDICAS como tem ocorrido.

Eu sei que há muito estes senhores mostram-se incapazes de implementar políticas públicas de fato. Mas, estamos no limite e é chegada a hora de medidas extremas. Eu como cidadão e contribuinte me sinto aviltado pela cumplicidade do poder local com este estado de coisas.
Por fim, semana passada quase fui atropelado NA CICLOVIA por um carro que ultrapassou o sinal de trânsito na 28 de março e quase invadiu a ciclovia!!!!!! Some-se a isso o nível de corrupção que faz com que determinados multados possam "recorrer" de maneira oficiosa retirando as multas...

George Gomes Coutinho"

Diploma de jornalista na pauta de hoje do STF

Está na pauta de hoje do Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento do recurso extraordinário (RE 511961) que questiona a exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão. A sessão começa às 14h e pode ser vista aqui. E aqui, tem matéria da Fenaj sobre o assunto.

Até onde vai Wellington Cordeiro?

A Noite do Vinil de hoje será com discos de músicas românticas francesas e italianas, com destaque para o clássico Charles Aznavour. A melação é para celebrar o Dia dos Namorados, na próxima sexta. Sei não, mas acho que o Wellington Cordeiro está indo longe demais nesse culto ao vinil. Os efeitos colaterais de passar uma noite ao som dessas músicas devem ser gravíssimos. Onde estão os amigos que não veem uma coisa dessa?!

Quem quiser emprestar o ombro amigo é só aparecer na Taberna Dom Tutti, na rua das Palmeiras, 13, atrás do Churrasquinho do Luiz (Pq. Alzira Vargas).

terça-feira, junho 09, 2009

Cobrir ou não cobrir?

Post aqui sobre o Canal Campos-Macaé continua rendendo um ótimo debate. Participe!

Meu avatar do Mania

Há um duplo meu que vem sendo construído involuntariamente pelo jornal Mania de Saúde. Está ficando divertido. Qualquer dia o uso como um avatar. Tempos atrás disseram que trabalho na assessoria da Transpetro (quando o correto é Sindipetro-NF). Agora, em caderno comemorativo dos seus 18 anos, dizem que estudei no Liceu! (quando o correto é ETFC), que sou mestre em Comunicação (quando o correto é Sociologia) e que enalteço a imparcialidade política do jornal (quando jamais disse tal coisa).

Sei que erros acontecem, e não exijo nenhum tipo de retratação. Seria muita presunção acreditar que minhas informações biográficas teriam alguma relevância a ponto de merecerem correção em um jornal. Só acho engraçado mesmo.

segunda-feira, junho 08, 2009

E agora o clone do blog da Petrobras...

E agora apreceu um blog clone do da Petrobras, de alguém que se diz indignado com o blog da empresa. Aqui.

Ô inveja! Aos campistas, só resta um suspiro profundo

Olha o release que acaba de chegar da Prefeitura de Quissamã:

Foto: Genilson Pessanha / Secom PMQ
"08/06/2009
Release para Imprensa

Estação Ferroviária da Freguesia é o presente de 20 anos

No ritmo de comemorações pelo 20º aniversário da emancipação político-administrativa de Quissamã, será inaugurada a réplica da antiga Estação Ferroviária da Freguesia, restaurando a história e a memória domunicípio. Ao lado do Centro Cultural Sobradinho, a estrutura estará completando o Centro Histórico, transformando o local num espaço que leva as pessoas ao passado.

Remontando uma época em que a o trem a vapor era o transporte mais rápido e moderno, capaz de interligar os principais pontos da cidade, a réplica da Estação será um espaço cultural de visitação. A estrutura abrigará um pequeno acervo, aonde antes era a bilheteria, contendo algumas peças referentes à ferrovia. Estes objetos ainda estão sendo escolhidos pela Fundação Municipal de Cultura e Lazer, responsável pela construção da réplica.

O símbolo arquitetônico será representado por uma maquete, onde aparecerá o trem percorrendo algumas casas de fazenda, sonorização eiluminação pontual. Também haverá textos contando a história e a importância da Estação da Freguesia, que foi construída no final do século XIX.

As obras começaram no final de 2008. Segundo a arquiteta da Fundação Cultural, Mariana Barcellos, foram utilizados materiais contemporâneos para execução da fundação, da alvenaria e de parte da estrutura, como concreto, blocos de concreto e tijolos. Toda estrutura aparente foi refeita com trilhos antigos, que foram dobrados para ficarem com o efeito original. “Existe um fragmento desta estrutura no local, que ficará protegido por uma caixa de vidro, evidenciando o marco pertencente à primeira Estação”, destacou.

A estrutura arquitetônica não perde nenhum detalhe nesta viagem ao passado. “Os lambrequins e as rendas foram reproduzidos conforme aparece em fotografias da época, assim como o telhado com suas telhas em zinco ondulado”, afirmou, ressaltando, também, que os trilhos já estão instalados sobre dormentes e pedras britas.

História — Construída ao lado do Sobradinho, a Estação da Freguesia serviu para interligar os 40km de via férrea que passava pelas fazendas locais e pela Cia Engenho Central de Quissamã, a área central do então distrito de Macaé — onde estavam o comércio, as instituições públicas e a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Desterro.

A Estação entrou em funcionamento após a inauguração do Engenho Central, com a locomotiva a vapor escoando a produção canavieira proveniente das principais fazendas quissamaenses. Porém, perdeu sua função em meados dadécada de 30, não resistindo à concorrência crescente e ao avanço tecnológico, no início do século XX."

Cineclube Sesc - Programadora Brasil

Dando Continuidade a programação do Cineclube Sesc: Programadora Brasil, nesta terça-feira (09/06) às 19h serão exibidos três médias-metragens:


Aruanda

  Linduarte Noronha , PB, 1960


Brasília, Contradições de uma Cidade Nova

  Joaquim Pedro de Andrade, DF, 1967


Ô Xente, pois não

  Joaquim Assis , PE, 1973




No mês de junho, o cineclube sesc, que conta com a parceria da Programadora Brasil, exibirá filmes tendo como temática o Cinema Novo, movimento cinematográfico 

brasileiro iniciado na década de 60 e que conta como nomes como os de : Nelson Pereira dos Santos, Glauber Rocha, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade, 

Leon Hirszman, Roberto Santos, Rogério Sganzerla,  Ruy Guerra entre outros.


  

A proposta é exibir filmes que tragam discussão em torno do Cinema Novo


O início: exibindo Aruanda, de Linduarte Noronha (1960), curta que mostra a história de um Quilombo, formado em meados do século XIX, por escravos libertos no 

sertão da Paraíba, considerado um dos precursores do CInema Novo.


O ícone: serão exibidos filmes de curta e média duração com uma temática em comum, Glauber Rocha.


O Urbano: o Cinema Novo é conhecido por sua forma de retratar (prioritariamente)  a miséria humana em cenários áridos dos sertões brasileiros. Porém o urbano é 

muito presente no movimento cinematográfico. E nesta perspectiva, será exibido o filme "São Paulo Sociedade Anônima", de Luiz Sérgio Person (1965).


Influênciando: o CInema Novo continua sendo uma forte referência e exerce influência na realização de filmes contemporâneos. Como fruto desta influência, será exibido os filmes 

"A Hora da Estrela", de Suzana Amaral (1985) e "Cinema, Aspirinas e Urubus", de Marcelo Gomes (2005).



As exibições acontecem sempre as terças-feiras, às 19h e a entrada é gratuita.


users online