sábado, fevereiro 28, 2009

Rede Blog: hora de indicar temas para março

No dia 21 de março a Rede Blog volta a se formar, tendo como sugestão de pauta um tema sobre Campos. Confira abaixo os blogs que estão na vez de fazer indicações de assuntos para a enquete:

29 - Todo amor que houver nessa vida - Gervásio Neto - http://todoamorquehouver-neto.blogspot.com/
30 - Dentro da minha cabeça - Rodrigo Rosselinni - http://www.rosselini.blogspot.com/
31 - Fanatismo Indeciso - Rodrigo Manhães - http://fanatismoindeciso.blogspot.com/
32 - Super Energia - Marcos Valério - http://super-energia.blogspot.com/
33 - Dendrito - Yuri Amaral - http://www.dendrito.blogspot.com/

Vamo que vamo!

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Salve salve Mercedes Batista!

Reprodução/Arquivo pessoal
O jornalista Humberto Rangel manda mail para lembrar que a campista Mercedes Batista, primeira bailarina negra do Teatro Municipal, do Rio, e homenageada no Carnaval deste ano, merece também uma homenagem em Campos.

Conta Rangel: "A Vila Isabel, cujo enrêdo foi os 100 anos do Teatro Municipal, que apesar do "municipal" foi construído com verbas federais e inaugurado pelo Presidente Nilo Peçanha, em 1909, homenageou a campista Mercedes Batista, que foi a primeira negra a ser Primeira Balairina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Pois bem, Mercedes Batista foi eleita, pelo jornal "O Globo", a grande personalidade do carnaval carioca, ganhando, inclusive, o Estandarte de Ouro!!!!!!!!! Dona Mercedes, que hoje vive no bairro de Santa Teresa, merecia, pelo menos, o nome de uma rua em nossa cidade."

Nova aula do prof. Chaparro



As aulas anteriores do professor Carlos Chaparro estão aqui.

O papel sujo da Folha de São Paulo

De Urariano Mota

Em 17 de fevereiro, quando publicou o editorial Limites a Chávez, a Folha de São Paulo não imaginou o ciclone imenso que provocaria. É que lá no texto ela escreveu “...Mas, se as chamadas ‘ditabrandas’ - caso do Brasil entre 1964 e 1985 - partiam de uma ruptura institucional e depois preservavam ou instituíam formas controladas de disputa política e acesso à Justiça...”, de passagem, como se nada fosse, substituindo Ditadura por Ditabranda.

E fez mais: ao receber, dias depois, mensagens dos professores Fábio Konder Comparato e Maria Victoria de Mesquita Benevides, que protestaram contra o insulto à memória histórica, a Folha de São Paulo assim respondeu: “...Quanto aos professores Comparato e Benevides, figuras públicas que até hoje não expressaram repúdio a ditaduras de esquerda, como aquela ainda vigente em Cuba, sua ‘indignação’ é obviamente cínica e mentirosa”.

Para quê? Essa qualificação, de indignação cínica e mentirosa, aplicada às palavras de dois intelectuais honrados, provocou o gancho, acordou as forças de todo o mundo culto e democrata do Brasil. Com 2.381 assinaturas, lideradas pelo crítico literário Antonio Cândido (2.381 às 16 horas deste 25.2.2009), corre um abaixo-assinado de protesto, que pode ser acessado em http://www.ipetitions.com/petition/solidariedadeabenevidesecomparat/signatures-1.html

Então começaram a voltar à tona histórias e História, do passado da Folha de São Paulo, que contavam, relatavam o seu mais que apoio, a sua participação nos crimes da ditadura militar. Das histórias, todas com dolorosos depoimentos de humanidade e denúncia, a da jornalista Rose Nogueira mais chama atenção, pelo caráter particular da sua posição no tempo.

Rose era funcionária do jornal, repórter da Folha, quando foi presa em 1969. No entanto, ela descobriu 27 anos depois que foi punida “não apenas pela polícia toda-poderosa, pela justiça militar. Ao buscar nos arquivos da Folha de S. Paulo a minha ficha funcional, descubro que, em 9 de dezembro de 1969, quando estava presa no Deops, incomunicável, 'abandonei' meu emprego de repórter do jornal. Escrito a mão, no alto: ABANDONO. E uma observação oficial: Dispensada de acordo com o artigo 482 – letra 'i' da CLT abandono de emprego'.

Por que essa data, 9 de dezembro? Ela coincide exatamente com esse período mais negro, já que eles me 'esqueceram´por um mês na cela'. Todos sabiam que eu estava lá. Isso era – e continua sendo – ilegal em relação às leis trabalhistas e a qualquer outra lei, mesmo na ditadura dos decretos secretos. Além do mais, nesse período, se estivesse trabalhando, eu estaria em licença-maternidade" (Do seu artigo "Em corte seco", no livro "Tiradentes um presídio da ditadura", coord. Alípio Freire, Izaías Almada e J.A. de Granville-Ponce – Scipione Cultural – 1997).

E lembrou mais a jornalista, no mesmo texto: “Cacá nasceu em 30 de setembro, no Hospital 9 de julho, em São Paulo. Fórceps. Uma cirurgia por rotura da parede da bexiga e uma sonda me obrigaram a ficar mais de vinte dias internada. Quando a polícia chegou, o bebê tinha 33 dias e estávamos em casa havia mais de uma semana.... O leite que eu tirava do seio ainda insistia em vazar e minha blusa cheirava a azedo. A febre aparecia todo dia. O leite me fazia pensar que, enquanto estivesse ali, brotando, eu estaria ligada ao meu filho. Dias depois veio o diminutivo do dia me buscar para depoimento. Empurrava-me pela escada, enquanto gritava: ‘Vai, miss Brasil! Sobe essa escada logo, sobe!’

Miss Brasil era o nome de uma vaca leiteira que havia sido premiada. E na sala para onde me levou, o ‘inho’ chamava os outros: ‘Olha a miss Brasil, pessoal! Tá cheia de leite! É a vaca terrorista!’ “.

Ela nunca mais pôde ter outro filho, em consequência das torturas. A parte boa dessa história é que Rose Nogueira continua exercendo a profissão de jornalista. Ela conseguiu dar a volta por cima, trabalha hoje em televisão, e continua a ser útil para o seu filho e para outros filhos do mundo. Apesar do jornal-patrão, apesar do título de Miss Brasil em 1969.

[Publicado originalmente no site Direto da Redação]

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Caro senhor, seu livro é uma merda

A Folha de São Paulo do sábado passado publicou resenha do livro "A arte de recusar um original" (Rocco), do canadense Camilien Roy. O livro traz 99 modelos de recusa dos "manuscritos" enviados por autores às editoras. A versão "insensível", abaixo, foi uma das transcritas pelo jornal:


"Escute, meu senhor,
Não sei se alguém o encorajou a escrever, mas [...] essa pessoa perdeu uma boa chance de ficar calada. Você escreve tão mal que não resisti à tentação de ler alguns trechos em voz alta para os colegas da editora. Nós nos mijamos de tanto rir."

Balanço pós carnavalesco

Estive off line durante todo o Carnaval (as postagens do sábado e do domingo foram programadas). Daí que só agora dei uma vasculhada para ver o que foi publicado na Rede Blog do último dia 21. Encontrei apenas, além do post do urgente!, comentários sobre o tema "Jornalismo de coleira e a política goitacá" em A Trolha e em Novo Céu e Nova Terra.
Alguém aí viu mais algum?

[Diferentemente do que foi publicado, o blog Dendrito não participou da Rede Blog em 21/02, e sim em 21/01. O post foi atualizado para correção às 16h23]

domingo, fevereiro 22, 2009

O ultrapassado Riocentrismo

Na última quarta assistia ao jogo Fluminense versus Nacional, de Patos (PB), na transmissão da TV Bandeirantes, direto de João Pessoa, e não pude deixar de observar a recorrência com que o locutor, Luciano do Valle, e o comentarista, Sérgio Noronha, se referiam ao suposto sonho que todos os jogadores do time paraibano teriam de conhecer o Rio de Janeiro, no jogo de volta, no dia 5 de março.

Se o Fluminense ganhasse com mais de dois gols de diferença, a segunda partida, no Rio, seria eliminada, como prevê o regulamento da Copa do Brasil. Qualquer resultado mais apertado do que esse garantia, como garantiu o 1x0 do tricolor sobre o Nacional, a tão sonhada disputa no Maracanã.

Foram muitas e muitas referências a esta incrível oportunidade que o Nacional teria – e terá. Muitas e muitas maneiras de dizer que aqueles jogadores da Paraíba teriam – e terão – a grande oportunidade das suas vidas. E até um jovem locutor de uma rádio local, de apenas 14 anos, entrevistado pelo fato inusitado de ser ainda adolescente e por pertencer a uma família que, sozinha, mantém no ar a emissora, foi instado a confirmar se iria – e vai – ao Rio para cobrir a segunda partida.

Do campo, o repórter informou que, de acordo com assessoria de imprensa do Nacional, apenas um jogador conhecia o Rio. Numa entrevista de final de jogo, um anti-clima: um outro jogador respondeu, sem entusiasmo, que também conhecia a cidade, derrubando a informação. E demonstrou não entender direito o porquê da pergunta besta.

Narrador, comentarista e repórter não se deram conta de que se excediam no Riocentrismo. E, a despeito dos inúmeros elogios que fizeram à capital paraibana, “cidade mais verde do Brasil”, e “segunda cidade mais verde do mundo”, contribuíam para alimentar uma ultrapassada visão do Rio de Janeiro como destino irresistível.

Não faz bem para o Brasil este tipo de discurso. Neste ponto específico, o presidente Juscelino Kubitschek foi genial quando concretizou em 1960 a idéia de uma capital no Planalto Central – cogitada desde o século XIX –, e redesenhou o mapa simbólico do País. E de Sul ao Norte, muitas outras cidades tocam suas vidas com orgulho e autonomia. O Rio não pode considerar demérito algum não ser mais, como no Império, uma capital cultural em meio a quase nada.

Pelo contrário, o Rio, certamente uma cidade encantadora, poderia justamente irradiar o seu caráter cosmopolita e de afeição à diversidade para valorizar as diferentes culturas das regiões brasileiras, ao contrário de fechar-se num carioquismo que, por vezes, beira o desespero em meio à decadência. Comportamento, no entanto, que ainda encontra irrefletida adesão até entre não cariocas, como o próprio Luciano do Valle, que é de Campinas (SP).

Para muitos deve ser inconcebível que a moçada do Nacional queira apenas jogar bola, onde quer que seja, ganhar dinheiro e ser feliz com isso. E ir para a Arábia Saudita, para o Japão ou para um time europeu deve até ser plano mais frequente do que o de ir para o Rio.

[Artigo publicado na edição de hoje do Monitor Campista]

sábado, fevereiro 21, 2009

Algum jornalismo é melhor do que nenhum

“Jornalismo de coleira e a política goitacá” foi o tema escolhido pela maioria dos participantes da enquete da Rede Blog. Vamos então a alguns poucos e rápidos comentários a respeito.

Em Campos, assim como em quase todo o planeta, é muito restrita a possibilidade de que haja autonomia no jornalismo — note que falo em autonomia, não em imparcialidade, que simplesmente não existe.

Desde o momento, e isso faz muito tempo, em que informação virou mercadoria e o jornalismo passou a ser feito por empresas jornalísticas, o conteúdo publicado se tornou refém do caixa. Por vezes a matéria sai e causa prejuízos. Por muitas vezes ela não sai para não causar prejuízos. E quase sempre ela sai se não atrapalhar os negócios.

Na verdade, fazer jornalismo é forçar a barra. A atividade, se exercida como se deve, não dá lucro, não faz amigos e enseja uma série de processos judiciais. Jornalismo de verdade sempre contraria a alguém.

O que há é uma questão de escala. Por vezes, a empresa jornalística é tão sólida, tão lucrativa (por meio de inúmeras fontes de receita) e tem tamanha credibilidade junto a uma determinada coletividade, que ela pode se dar ao luxo de comprar uma grande briga, na expectativa de que o público a apóie e os demais anunciantes não a abandone.

Nas cidades menores isso é mais difícil. E o que costuma acontecer é uma venda “de porteira fechada”, como se diz no meio rural. O anunciante que tem dinheiro, quase sempre governos municipais, pode comprar as opiniões do jornal, as notícias do jornal, as fotos do jornal, o que quiser.

Campos tem certa tradição no jornalismo. Tem todos os defeitos comuns a todas as demais cidades. Mas tem até mais virtudes que algumas. Não é qualquer município de porte médio que mantém três jornais diários – há pouco tempo eram cinco –, um deles com 175 anos. São precários, mas são os possíveis, e feitos por muita gente séria e dedicada.

E, independentemente das vinculações políticas, acabam por prestar serviços em muitas outras áreas — até para que se legitimem. É o jornalismo que garante o mínimo de informações diárias para viver na cidade. Isso é algo que, mesmo com toda a riqueza e a diversidade dos blogs, ainda é o trabalho remunerado, permanente e de cobertura generalista que pode garantir.

Se tivesse que avaliar os jornais impressos de Campos, com notas de 0 a 10, daria 5 para o Monitor Campista, 2 para a Folha da Manhã e 1 para O Diário. Mas se dependesse de mim a sobrevivência dos três, ela estaria garantida. Prefiro jornalismo ruim à ausência de jornalismo.

Hoje é dia de Rede Blog!

Hoje é dia de Rede Blog, com o tema escolhido na enquete ao lado. Todo dia 21 vários blogueiros têm, em comum, uma sugestão de pauta sobre Campos. Cada um é livre para postar (ou não postar) o que quiser sobre o assunto. Valem textos, vídeos, áudios, o que pintar. O objetivo é dar visibilidade a um determinado tema sobre a cidade.

Se você tem um blog e ainda não faz parte da rede, basta manifestar interesse aí nos comentários e confirmar esta intenção por meio de post em seu próprio próprio blog.

Confira abaixo quem já participa:

1 - A Patuléia do Brejo – Eugênio Soares - http://ce.lemos.blog.uol.com.br/
2 - Aspectos - Wesley Machado - http://www.aspectos.blog.br/
3 - Comentários do Cotidiano - Fabio Siqueira - http://fabiosiqueira.blogspot.com/
4 - Converse com Sérgio Diniz – http://www.sergiodinizescreve.blogspot.com/
5 - Desenvolvimento de Erros - Sagaz - http://www.sagazcarvalho.net/blog/blog/
6 - Diário de Classe – Coletivo - http://ddclasse.blogspot.com/
7 - Eu penso que... - Ricardo André - http://www.ricandrevasconcelos.blogspot.com/
8 - Geraldo Pudim - http://www.geraldopudim.com.br/blog/
9 - Imagina - Jules Rimet - http://www.imagina.blogspot.com/
10 - Leandro Azevedo - http://leandrowebmaster.blogspot.com/
11 - Luciano Azevedo - http://www.lucianoazevedo.com/
12 - Luiz Felipe Muniz - http://luizfelipemunizdesouza.zip.net/
13 - Márcio Fernandes - http://marcioffernandes.blogspot.com/
14 - Mumunha Futebol Clube – Álvaro Marcos - http://mumunha.blogspot.com/
15 - Palabrasti - Victor Dahia - http://palabrasti.blog-se.com.br/
16 - Refúgio do Camelo e do Dromedário - João Ventura - http://joaosucubu.blogspot.com/
17 - Retrato 3x4 - Wellington Cordeiro - http://retratotresporquatro.blogspot.com/
18 - Roberto Moraes - http://robertomoraes.blogspot.com/
19 - Sepé - Fabiano Seixas - http://www.fabianoseixas.blogspot.com/
20 - urgente! – Coletivo - http://urgente.blogspot.com/
21 - Ururau Irado - http://ururauirado.wordpress.com/
22 - Verbo Solto - Fátima Nascimento - http://www.verbosolto.blog-se.com.br/
23 - Vitor Longo Braz - http://www.blogvitorlongo.blogspot.com/
24 – Fatos, fotos e afins - Gustavo Rangel – http://fotosfatoseafins.blogspot.com/
25 - Rafael Borba - http://rafaborba.blogspot.com/
26 - A Trolha - http://atrolha.blogspot.com/
27 - Diego Rangel - http://diegorangell.blogspot.com/
28 - Novo Céu Nova Terra - Fávio Mussa Tavares - http://novoceuenovaterra.blogspot.com/
29 - Todo amor que houver nessa vida - Gervásio Neto - http://todoamorquehouver-neto.blogspot.com/
30 - Dentro da minha cabeça - Rodrigo Rosselinni - http://www.rosselini.blogspot.com/
31 - Fanatismo Indeciso - Rodrigo Manhães - http://fanatismoindeciso.blogspot.com/
32 - Super Energia - Marcos Valério - http://super-energia.blogspot.com/
33 - Dendrito - Yuri Amaral - http://www.dendrito.blogspot.com/
34 - Todos os sonhos de Abril - Ana Paula Motta - http://www.clube-de-leituras.net//blogs/apaulamott
35 - Rogério Valadares - http://rogeriovaladares.blogspot.com/
36 - A pinta campista - http://apintacampista.blogspot.com/
37 - Soprador de Vidro - Gustavo Landim Soffiati - http://sopradordevidro.blogspot.com/
38 - Todos os sonhos de abril - Ana Paula Motta - http://www.clube-de-leituras.net//blogs/apaulamott/
39 - Palavras de um futuro bom - http://bommemorias.blogspot.com/
40 - Vírus na Matrix - Bruno Reis - http://www.virusnamatrix.blogspot.com/
41 - Caído em Campos - Gustavo Alejandro Oviedo - http://caidoemcampos.blogspot.com/

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Mais da folia

Parem as máquinas!

No fim, embolou tudo

Todos na ruaProfissionais em busca de notícia

Presença ilustrePrefeito foi à procura dos assessores

AssembléiaColegas comemoram a pauta que caiu

Cobertura

Cenas da noite de ontem do bloco "Imprensa que eu gosto", em Quissamã.

Checando a fonteColetiva com a pres. da Fundação Cultural

Concentração Pauteiro verifica a produção do dia


Presidente de honraReunião de pauta












MC Leonardo e a realidade das favelas

Foto: Ive Talyuli/Jornal O Debate


Foi numa palestra de histórias tão reais quanto tristes que MC Leonardo (foto), representante da Associação de Profissionais e Amigos do Funk (Apafunk), trouxe para Macaé a realidade das favelas cariocas e as desastrosas ações policiais dentro destas comunidades. O músico veio para a cidade na última quarta-feira participar do primeiro seminário Violência, de quem é a culpa?, promovido pelo Fórum Permanente de Mobilização pela Justiça e Paz – organizado por mais de dez entidades civis de Macaé, além do mandato do vereador Danilo Funke (PT).

MC Leonardo palestrou no auditório do Colégio Luiz Reid, junto com a professora de História da Universidade Federal Fluminense (UFF) Adriana Facina. “O combate ao tráfico pelo Estado gera marginal”, garante o músico. Segundo ele, não adianta a polícia entrar nas comunidades, sair matando traficante. “Tem uma fila enorme para substituir aquele que morreu.” O MC também atacou aqueles que defendem que tem que colocar “polícia para cima” das comunidades. “Coloca professor, coloca médico para cima das comunidades. Não é melhor?”, questiona ele. O representante da Apafunk ainda lembrou da marginalização do funk no Brasil e desafiou “qualquer autoridade de polícia para dizer para mim que o caveirão do Bope é necessário”. De acordo com o MC, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar é um grupo de extermínio.

Também diante de alunos de diferentes colégios de Macaé, a professora Adriana Facina tratou das causas da violência. Ela expôs o estado penal que se encontra a sociedade atualmente, com um crescimento enorme da população carcerária. “Os jovens pobres são uma ameaça para o acúmulo de capital. Então, colocam eles nas cadeias. Não deixa de ser uma limpeza de classe”, explica a professora, denunciando o absurdo. Assim como MC Leonardo, a docente de História da UFF também atacou a tropa de elite da PM: “Quando a gente autoriza o Bope a entrar na favela e deixar corpo no chão, estamos assinando a sentença de morte dos nossos filhos.”

Bloco da Rede Blog neste sábado, 21

Amanhã é dia de Rede Blog, com o tema escolhido na enquete aí ao lado. Em ritmo de esquindô esquindô, programem seus posts e vamo que vamo!

Estão chegando Os Pholiões

Um bloquinho despretensioso, mas de exuberante "história", está de volta amanhã, em Grussaí. Toda a bravura e a glória de uma lenda carnavalesca de 150 anos estão aqui.

"Pra criançada"

Hoje, 20/02, no Sesc Campos haverá a exibição do filme de animação "Dumbo".
O evento terá início às 15h e é gratuito.
A exibição faz parte da mostra temática "A Arte Circense", que conta com exposições, teatro, oficinas circenses, filmes etc.


Dumbo
Direção: Ben Sharpsteen
Animação, 61 min.

Sinopse: Dumbo é um bebê elefante que nasceu com orelhas enormes e por isso é motivo de riso entre os animais. Mas ele contará com a ajuda de Timotéo, um simpático ratinho, para se tornar um verdadeiro artista de circo.

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Folia

O bloco "Imprensa que eu gosto" "bomba" neste momento em Quissamã. Aos ausentes: "perdeu". Para ouvir a folia, ouça na Ultra FM 91.5 ao vivo neste momento.

Jornalistas discutem se querem cartão de ponto

Jornalistas parecem que vivem numa era pré-CLT. Muitos, por não se acharem trabalhadores como outros quaisquer, têm até vergonha de reivindicar o cumprimento de direitos. Nem se dão conta de que são, por vezes, mais maltratados que categorias aparentemente mais exploradas.

Agora mesmo jornalistas do município do Rio, assim como foi feito em outros locais, discutem se devem ou não receber horas extras. Uma questão superada em categorias mais organizadas. Muitos resistem ao cartão de ponto.

Jornalistas do Infoglobo (Globo, Extra, Expresso, G1...) e de O Dia têm assembleia hoje, às 21h, na sede do sindicato para discutir a questão. Muito provavelmente poucos coleguinhas aparecerão. A maioria deve se achar acima destes assuntos menores.

Ex-diretor diz que biblioteca já está informatizada "há mais de um ano"

O ex-diretor da Biblioteca Municipal de Campos, Joca Muylaert, afirma em seu blog que o atendimento na instituição já estava informatizado, em resposta a anúncio feito pela Prefeitura (aqui, na terça, 17) de que firmaria convênio para a informatização da biblioteca.

Muylaert também rebate comentários que foram feitos aqui, em dezembro do ano passado, pelo atual presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Avelino Ferreira, sobre as condições do Palácio da Cultura e da biblioteca.

"No que tange à Oswaldo Lima, além da recuperação do prédio, urge informatizar a centenária biblioteca, reabrir o salão de exposição, acabar com as aratacas no seu entorno... se possível, concluir o projeto original, acabando com as deploráveis puxadinhas", havia dito Ferreira.

"Há mais de um ano a biblioteca já está totalmente informatizada", rebateu Muylaert, que também registra que apresentou o sistema ao próprio Avelino, em visita que fez à biblioteca.

Segundo Joca, este trabalho já foi feito, e sem custo para a Prefeitura, já que conseguiu, por meio de uma parceria, um software para a instituição.

"Marcamos uma ida à biblioteca, onde, com a maioria dos funcionários, incluindo aí os técnicos e operadores do sistema, a bibliotecária, etc, apresentamos a vc um dos mais avançados sistemas de informatização do mercado. Instalado. Funcionando. Ocasião em que, para testar, vc pediu para digitar o seu nome e lá apareceram os seus livros", registrou Joca em seu blog.

Arruda neles

O talentoso jornalista João Paulo Arruda, do Extra, ganhou um prêmio da Society for News Design, sociedade americana que premia os melhores trabalhos gráficos publicados em jornais. O prêmio é considerado o Oscar da categoria e foi concedido pela história em quadrinhos do presidente americano Barack Obama, roteirizada por João Arruda e desenhada pelo cartunista Vinícius Mitchell, publicada pelo Extra em novembro do ano passado. Ambos já tinham levado um prêmio interno do jornal, que recebeu ao todo três prêmios de excelência. Para ver o trabalho, clique aqui.

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Bloco de jornalistas

Jornalistas, fontes e agregados estão convidados a participar do bloco carnavalesco “Imprensa que eu gosto”, que sai pela primeira vez nesta quinta-feira (19 de fevereiro), em Quissamã. A concentração, às 19h, será no restaurante Pizza e Cia, no Centro da cidade, em frente ao Banco Itaú. Mais de 130 pessoas já compraram o abadá, vendido antecipadamente a R$ 10. (No local do evento será vendido a R$ 15). A organização é das jornalistas da Secretaria de Comunicação do município com a coordenação das colegas Andréa Pessanha (autora do samba) e Fabiana Ribeiro.

Entidades se mobilizam contra a violência em Macaé

Representantes de várias entidades e instituições de Macaé se reúnem daqui a pouco, às 18h, no Colégio Estadual Luiz Reid, para discutir o aumento da violência no município. Eles formam o Forum Permanente de Mobilização pela Justiça e Paz.


Também participam do encontro o MC Leonardo (da APA Funk-RJ), a professora de história da UFF, Adriana Facina, e o integrande do Ministério da Justiça, Vinícius Wu.

Sedimentares

Professora da Uned Macaé, engenheira de materiais com mestrado em Ciências Naturais pela Uenf, Ana Siqueira está aqui na blogosfera. Seja bem-vinda.

terça-feira, fevereiro 17, 2009

Número de brasileiros que leem blogs cresce em 2008

Do site do Ibope

O número de brasileiros que acessam blogs cresceu a uma taxa superior a da expansão da internet em 2008, de acordo com dados do IBOPE//NetRatings.

Em dezembro de 2008, 11,6 milhões de pessoas acessaram blogs contra 9,5 milhões de brasileiros de dezembro de 2007, um crescimento de 22,1%.

Neste mesmo período, o número de pessoas que acessam a internet de suas residências cresceu 14,5%, passando de 21,4 milhões de internautas para 24,5 milhões em dezembro de 2008.

O melhor mês para a blogosfera brasileira em 2008, segundo o IBOPE//NetRatings, foi em novembro, quando 12,4 milhões de pessoas acessaram blogs.

Na ocasião, o número representou 51% da base de internautas que navegam na web de suas casas.

[Matéria publicada no site IDGNow, disponibilizada aqui pelo Ibope.]

"O capital é quem manda", também no Carnaval

"Nós estamos num país capitalista. Se alguém cria uma fábrica de botões, tem de vender botões para o mercado, o que obriga o proprietário a saber quantos botões pôr no mercado. Existe um planejamento. O problema do patrocínio nas escolas de samba é o mesmo do patrocínio do futebol, por exemplo. Ao longo de nosso estudo, não conseguimos visualizar uma política de patrocínios definida para a área do carnaval. Mas nós não podemos olhar para o carnaval de hoje como se estivéssemos na década de 30 ou na década de 70."

"Essa é uma discussão que está dentro da produção audiovisual. Os diretores de cinema dizem: “Poxa, estamos recebendo patrocínio da Columbia Pictures, uma empresa americana, e eles estão querendo ditar o padrão do filme.” Nós estamos num país capitalista, repito, onde quem tem dinheiro manda. Não é TV Globo que produz suas novelas? Ela produz o que ela quiser. As emissoras de televisão fazem pesquisas para saber a que tipo de novela o público quer assistir. Se os custos com determinado tipo de novela forem muitos caros, as televisões vão compensar isso com os patrocinadores que tiverem a fim de bancá-la. O que funciona é a economia de mercado. O Estado pode regulamentar, com o objetivo de impor certo equilíbrio, mas o capital é quem manda, e não poderia ser diferente no carnaval."

Do marxista Luiz Carlos Prestes Filho, em entrevista a Bruno Filippo, aqui.

Projeto da Uenf quer reunir entidades para acompanhar a política municipal

Projeto de Extensão da Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense), coordenado pelo sociólogo e cientista político Hamilton Garcia, está se propondo a algo audacioso: contribuir para a formação de um ambiente público de acompanhamento da política no município. A idéia é "reaglutinar a sociedade civil campista organizada".

Não parece pouco.

Serão chamados representantes de sindicatos, associações de categorias e comunitárias, intelectuais, entre outros interessados, a formar um "movimento pela regulação pública do Estado."

Não é comum que uma universidade, mais acostumada a produzir diagnósticos, resolva intereferir de modo tão direto na política - embora, claro, todo conhecimento gerado seja em si mesmo uma intervenção.

O projeto avalia que poderá "retomar a tradição pública do debate político, hoje em grande parte ofuscada pelas práticas clientelísticas e pelo apelo publicitário no escrutínio eleitoral, permitindo ainda às universidades locais, e seu corpo técnico e discente, um canal de protagonismo baseado tanto em seus saberes específicos como em sua vocação para a transformação progressista e planejada da realidade circundante".

segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Farra das nomeações por todo o país

A Folha de São Paulo de ontem trouxe matéria de Fernando Barros de Mello que mostra o crescimento do número de cargos comissionados no país. "Os cargos de confiança em Estados, municípios e no governo federal aumentaram 32% em cinco anos, saltando de 470 mil no início de 2004, para 621 mil pessoas agora", registrou aqui a Folha Online.

A reportagem mostra ainda que, nos municípios, a relação entre cargos de confiança e servidores concursados passou de 7,9% em 2004 para 8,8% em 2008.

Em Campos, como sabem os leitores, o problema também é crônico. E a nova gestão não deu sinais de que pretende reduzir ao mínimo necessário o número de comissionados. Ao contrário, como já registrou o blog, até aumentou o número, por exemplo, de "supervisores de serviços municipais".

Oficina de teatro com inscrições abertas

O bravo ator, diretor e promotor cultural Fernando Rossi manda avisar que estão abertas as inscrições para a Oficina de Teatro do Sesi Clube. A próxima turma terá aulas a partir de 9 de março. Há grupos de crianças (6 a 14 anos, 2ª e 4ª - 18h), adultos iniciantes (2ª e 4ª - 19h) e adultos avançados (3ª e 5ª - 19h). Mais informações: (22) 2101-9024.

Vamos filmar, gente!

O MinC lançou os editais Curta Metragem do Gênero Ficção ou Documentário, Roteiros Cinematográficos e Longa Metragem de Baixo Orçamento. Os interessados poderão se inscrever até o dia 16 de março. O edital Curta Metragem de Ficção ou Documentário selecionará 20 obras com teto máximo de R$ 80 mil. Serão contemplados ainda dez projetos de Roteiros Cinematográficos, com investimento de R$ 50 mil cada e cinco projetos de Longa Metragem no valor individual de R$ 1 milhão. Mais, aqui.

domingo, fevereiro 15, 2009

A cidade que maldiz os campistas

Nós, campistas, precisamos tomar uma providência. Conheço uma cidade aonde todos nos maldizem. Do taxista ao porteiro do prédio, do motorista de ônibus ao político, do jornalista ao advogado, do professor ao escriturário, do delegado ao padre. Todos, absolutamente todos, lançam impropérios diários contra a condição simbólica de ser campista. Um acinte que não podemos mais admitir. Podemos até estudar medidas judiciais.

Dizem que os campistas não sabem cuidar da cidade. Que são preguiçosos e que são maus pagadores. Que não conservam as suas ruas, que não zelam pelos seus jardins. Contam, abismados, que os motoristas campistas são os piores do mundo, e que andam com lentidão na faixa da esquerda, enquanto correm nas ultrapassagens pela direita. Não obedecem faixas de pedestres e estacionam sem cerimônia sobre as calçadas.

Insolentes, os habitantes desta cidade dos maledicentes afirmam nas rodas de bate-papo que os médicos daqui são despreparados, que os jornalistas escrevem mal, que os advogados são dos piores, que os estudantes não estudam.

Contam ainda que o campista não vê problemas em arremessar um lixo na rua. Que falseia comprovante de residência para emplacar carros no Espírito Santo. Que sonha com um cargo em comissão na Prefeitura e que sua mais entusiasmada ambição é ser personagem de coluna social.

Parece até que a principal diversão destes ávidos juízes populares é mesmo falar mal do campista. Fazem isso com um prazer quase sexual. Inclinam a cabeça, aproximam-se do ouvinte, balbuciam as ofensas bem de perto, quase tocando a orelha alheia com os lábios, enquanto os olhos percorrem o entorno para a certificação de que tem alguém testemunhando aquele momento de gozo — porque é sempre melhor ser feliz em público.

Compartilham o privilégio da anunciação de cada novo defeito descoberto. Quando mais informais, dizem apenas “sabe a última do campista?”. Quando mais solenes, afirmam, em tom dramático: “não tem jeito, os campistas aprontaram novamente”. Vivem com os campistas na cabeça, como se fôssemos responsáveis por mazelas de todo o país, quiçá do mundo.

De modo que conclamo todos os meus conterrâneos campistas a uma cruzada de resistência a este comportamento nocivo dos habitantes desta cidade que conheço. Não será tarefa fácil enfrentá-los, mas tal volume de acusações não pode ficar sem respostas.

Todos juntos, então, partamos hoje mesmo para a cidade aonde o povo tanto nos maldiz. A própria Campos dos Goytacazes.

[Crônica publicada na edição de hoje do Monitor Campista]

sábado, fevereiro 14, 2009

Comissão estuda mudanças nos cursos de jornalismo

Da Assessoria da Sesu

A Secretaria de Educação Superior (Sesu) constituiu comissão de especialistas para subsidiar o Ministério da Educação na revisão das diretrizes curriculares do curso de jornalismo. Ela funcionará durante 180 dias e se reunirá pela primeira vez no dia 19.

Para a secretária de Educação Superior do MEC, Maria Paula Dallari Bucci, as diretrizes em vigor abrangem toda a área de comunicação social e são pouco específicas para a formação em jornalismo. “A intenção é garantir um melhor processo formativo para o profissional do jornalismo, já que a diversidade e as peculiaridades da profissão não são hoje contempladas pelas atuais diretrizes”, afirma.

As diretrizes curriculares orientam as instituições de educação superior no processo de formulação do projeto pedagógico de um curso de graduação. As diretrizes do curso de jornalismo foram estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 2001.

Presidida pelo professor José Marques de Melo, a comissão foi designada pela Portaria Sesu nº 203, publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 13.

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

"secretarias viraram governos paralelos"

"Na verdade, não tem muito tempo que passei a me interessar pela política local, mas nesse curto período me chamou atenção o modo selvagem como a cooptação estatal operou por aqui nos últimos anos: as secretarias viraram governos paralelos, aparentemente inviabilizando uma direção centralizada, de forma a satisfazer o apetite dos grupos aliados no poder, mas também de justificar a sangria descontrolada dos recursos públicos com o esfarrapadíssimo "eu não sabia" – que, ao cabo, funcionou tanto no plano local como nacional. Essa situação, sustentada por eleições livres, fez uma liderança comunitária da cidade produzir a seguinte pérola: “O voto corrompe, tanto o político como também o eleitor”."

Do professor Haminton Garcia de Lima, da Uenf, em entrevista ao blog Outros Campos, aqui.

Alguém conhece o Ragga?

O Ragga Muffin é considerado, por muitos, como a evolução do Reggae, e é tocado em diversas rádios do mundo. Porém, o estilo está conquistando, de forma lenta, as pistas de todo o Brasil.

E Dizy Ragga vem conquistando espaço no cenário nacional. Dizy é um campista nascido e criado em roda de Samba e com currículo cunhado na noite.

Em 2006, com a música “Esperar em Serviço”, figurou entre os 10 primeiros colocados do Festival de Música de Rio das Ostras. E agora, com o CD “De Repente” na agulha, o músico desta terra plana tem desbravado novas trilhas: nos dias 20, 21 e 22 de fevereiro, ele participará, em São Carlos - SP, do Carnareggae, a maior celebração da música Reggae. E depois continuará na estrada, participando de eventos em Niterói - RJ, Vila Velha - ES e São Paulo.

O CD “De Repente” tem um som bastante peculiar, bem original à medida que mescla o Ragga com sons populares brasileiros, como o repente e o jongo, em seus arranjos musicais.

Quem quiser escutar músicas de Dizy Ragga acesse: www.myspace.com/dizyragga


Fotografia: Ricardo Avelino

Foto Montagem: Andinho Sgraff

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Terror na Taberna nesta sexta, 13

Foto: Do site www.swilliamshaw.com
Amanhã, sexta-feira 13, cinéfilos espíritos de porco, liderados por Wellington Cordeiro e pelo pessoal da produtora Canibal Goytacá, vão se reunir na Taberna Dom Tutti, a partir das 23h, para curtir a Mini Mostra de Curtas de Terror. A madrugada será regada a sustos e gritos de horror com a apresentação de diversos curtas, entre eles alguns de produção local.

Entre os filmes que serão apresentados estão a série Masters of terror (1ª temporada), Episódios do CreepShow – Os mestres do terror e do macabro George Romero e Stephen King. Os nacionais: Colégio de Humanos Mortos, de Fernando Rick, e Aparência, de Liz Vamp. Assim como uma seleção dos curtas da Canibal Filmes de Peter Baiestorf e Gurcius Gewdrer. A produção local estará representada pelo curta Zumbi da Meia Noite, da produtora campista Os Invisíveis, e os curtas Ave Satan e Eleição Maldita da produtora Canibal Goytacá.

Montagem tosca e dinheiro jogado fora

Foto: Celso Júnior/Portal Estadão
O mais engraçado da história dos prefeitos que posaram para fotomontagem com as imagens do presidente Lula e da ministra Dilma, no encontro dessa semana em Brasília, é a péssima qualidade da montagem. Note, na foto de Celso Júnior, publicada pelo portal do Estadão (aqui) e reproduzida acima, como a barriga do presidente Lula invade o corpo do feliz prefeito Raimundo Nonato Pessoa, de Timbiras (MA).


Além disso, com a divulgação da farsa, inclusive pelo Jornal da Globo de ontem, os prefeitos terão pouco o que fazer com a imagem, a não ser que queiram virar (ainda mais) piada para os eleitores. Pelo visto, os R$ 30,00 que cada um desembolsou foram jogados fora. Espera-se, ao menos, que não tenham saído do erário.

Grêmio do IFF reivindica melhoria nos micródromos

Foto: Sagaz Carvalho/Grêmio do IFF
O Grêmio Estudantil Nilo Peçanha (GENP), do IFF (Instituto Federal Fluminense), antigo CEFET-Campos, estão em campanha por melhorias nos micródromos da instituição. De acordo com a entidade, apenas ontem foram recolhidas 500 assinaturas em um documento com a reivindicação.


"É impossível digitar um trabalho ou pesquisar qualquer coisa na internet, porque os computadores são antigos e lentos", disse a estudante do curso de design gráfico, Gianelli Alvarenga, 22 anos, segundo release enviado pelo Grêmio.

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Rally do petróleo


(Foto: Guilherme Póvoas)


Quem vem fazendo algum barulho – até em função das buzinas – é o movimento 'Rally Macaé, a cidade dos buracos'. Trata-se de um grupo de jovens que – p.... da vida com a quantidade de crateras que tomaram conta das ruas de Macaé, em qualquer bairro, das largas avenidas às pequenas vielas – resolveram protestar de forma até bem humorada. Já fizeram duas carreatas, sempre metendo a mão na buzina, tomando conta das ruas centrais da cidade com cerca de 40 automóveis devidamente identificados. Frases como “Velocidade Controlada por Buracos” ou “Buracos Mais Profundo que o Pré-Sal” estavam pintadas nos carros. Segundo um dos organizadores do movimento, o grupo vem tentando conversar com as autoridades sobre o assunto e até percebe que há obras sendo feitas para recuperar as ruas. “Mas logo os buracos voltam, as obras são de má qualidade”, garante o organizador. Cerca de 2 mil carros andam com o adesivo do "Rally Macaé" pelas ruas da cidade.

Decisão do TSE não traz prejuízo para Vianna

Advogado e blogueiro, Cléber Tinoco explica que a recente decisão do TSE, que negou seguimento ao recurso do ex-prefeito Arnaldo Vianna, não gera impacto para eventuais novas candidaturas do político. "É muito comum, porém, que o candidato impugne o pedido de registro de seu oponente invocando contra ele alguma causa de inelegibilidade. Enquanto o processo de impugnação de registro não tem decisão definitiva, o candidato segue disputando as eleições. O detalhe está em que o candidato inelegível deverá ter seu pedido de candidatura impugnado a cada eleição, não servindo o indeferimento do registro de um pleito para o outro. Na prática, enquanto o processo de impugnação do registro não é definitivamente julgado, o candidato inelegível consegue disputar as eleições e, muitas vezes, chega a exercer e até mesmo concluir o mandato. É evidente, portanto, a ineficácia da lei eleitoral, que parece ter sido feita para não funcionar", explica o advogado.

Confira a íntegra do post de Tinoco aqui.

Sexta, 13: Dia apropriado para discutir pedágio na BR 101

A julgar pelos sustos que anda pregando nos usuários da BR 101, que foram rebaixados da condição de cidadãos contribuintes para a de "clientes", foi bastante apropriada a data para que o diretor presidente da OHL – Auto Pista Fluminense, empresa concessionária da estrada, Flávio Almada, participe de debate sobre o processo de concessão da rodovia. Será na sexta, 13, 12h, no auditório da Prefeitura de Campos.

O debate terá ainda as participações do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues Júnior, e do superintendente de exploração de infraestrutura, Mário Mondolfo.

Segundo a assessoria do deputado federal Geraldo Pudim, o encontro foi acertado pelo parlamentar, que convidou 19 prefeitos de cidades cortadas pela rodovia, e os presidentes da Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Trote vexatório proibido na Faculdade de Medicina de Campos

Foto: André Vasco

Início de ano letivo já estamos acostumados a ver estudantes, recém chegados, em sinais de trânsito e pelas ruas no centro da cidade pedindo dinheiro, sujos de tinta, cabelos raspados e fedendo a água de peixe. Esse é o famoso trote aos "calouros" em diversas universidades Brasil a fora, e em Campos não é diferente. 
Porém, uma das instituições de Campos mais tradicionais no quesito trote,  a Faculdade de Medicina de Campos lançou a campanha "Trote vexatório:  machuca o corpo, a alma e sua consciência".
Após um decreto assinado pelo Diretor da escola, Nélio Artiles, em novembro do ano passado, fica proibido as brincadeiras que resultem em humilhações psicológicas, danos físicos ou danos materiais aos calouros. "Este ano, os novos acadêmicos vão ser recebidos com um trote bem diferente: uma gincana de cidadania, que vai acontecer durante toda a semana a partir do início das aulas para os novatos, em 2 de março. Os veteranos, que já estão em aula desde a semana passada, participam ajudando as equipes", divulgou em nota a assessoria da faculdade.

A iniciativa pretende dar fim ao constrangimento que certas brincadeiras costumam causar não só aos calouros, mas aos seus familiares, que quase sempre acompanham a acolhida no primeiro dia de aula. Muitas universidades no país também estão abolindo o trote vexatório, que às vezes traz conseqüências mais graves. 

"O trote vexatório não traz nenhum benefício ao aluno e ainda pesa contra os princípios e conceitos da instituição e da comunidade acadêmica. Isso tem reflexos na sociedade. O que estamos promovendo é a transformação da acolhida aos alunos em atividades de conscientização solidária", disse Nélio Artiles.

terça-feira, fevereiro 10, 2009

Agora vai?

Durante reunião realizada no início da noite de hoje, em Brasília-DF, o Ministro da Secretaria Especial dos Portos, Pedro Brito, garantiu que o governo federal vai entrar com R$ 50 milhões do PAC para a realização da dragagem no Canal das Flexas, em Barra do Furado. O anúncio foi feito na presença do vice governador do Rio, Luis Fernando Pezão e os prefeitos de Quissamã e Campos, respectivamente Armando Carneiro e Rosinha Garotinho.

O estado vai entrar com outros R$ 20 milhões para ajudar no projeto na divisa entre os dois municípios, onde está previsto a construção de um estaleiro e um terminal pesqueiro. Quissamã e Campos vão, através de um consórcio, financiar outros R$ 50 milhões. Quissamã ficará responsável por 30% e Campos por 70% deste montante.


De acordo com o Ministro, dentro de 30 dias poderá ser lançado o edital para a realização da primeira fase da obra.

Jornalistas se imprensam e protegem o canudo

Carnaval de duplo sentido nos blocos carnavalescos de jornalistas pelo país. Matéria do site da Fenaj traz aqui uma panorâmica da movimentação etílico-jornalístico-momesca em alguns estados.

Em Fortaleza, a “Associação Carnavalesca, Recreativa e Etílica-Cultural Matou a Pau...ta!!!” lançou a campanha "Tire a mão do meu canudo", em defesa da obrigatoriedade do diploma para jornalista.

Jornalistas caem no samba também em blocos no Rio (“Imprensa que eu Gamo”), em Florianópolis ("Pauta que Pariu"), Manaus (“Imprensa Que Eu Gosto”) e Recife ("Imprensa que Entra" e "Língua Ferina").

Em Campos, jornalistas não têm um bloco próprio, mas grande número de integrantes desta espécie se reúne no Boi Capeta, que sai na noite da sexta no campo do Goytacaz. No Sábado, sai da Rádio Difusora o "Pega Veado".

Sem pagamentos, jornalistas cruzam os braços na Editora Símbolo

Sem receber salários há quase dois meses, os jornalistas da Editora Símbolo (que edita entre outras as revistas “Uma”, “Um”, “Meu Nenê”, “Zero”, “Baby & Cia.”, “Donna” e a semanal “Chiques e Famosos”) cruzaram os braços nesta segunda-feira 9/2. A empresa deve os pagamentos de dezembro, o 13º e o salário de janeiro de 2009 – os jornalistas receberam apenas o adiantamento de dezembro de 2008.

Do site do Sindicato dos Jornalistas de SP, aqui.

Associação diz que RJ tem recursos para saneamento e cobra projetos de prefeituras

Brasília - O presidente da Associação Estadual de Municípios do Estado do Rio de Janeiro (Aemerj), Vicente Guedes, afirmou hoje (10) que o governo estadual possui recursos disponíveis para obras de saneamento, mas que as prefeituras não dispõem de projetos para que as obras sejam realizadas.

Da Agência Brasil, aqui.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Posse em Brasília

A prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PMDB) e o prefeito de Quissamã, Armando Carneiro (PSC) foram empossados agora a pouco na diretoria da Anamup (Associação Nacional dos Municípios Produtores), que reúne 937 municípios produtores de energia, petróleo e minério de todo país. Armando assume como Diretor Administrativo e Rosinha integra o Conselho Deliberatico da entidade. O evento aconteceu na sede da ABM (Associação Brasileira de Municípios), em Brasília-DF. Da região, também esteve presente o prefeito de Casimiro de Abreu, Antônio Marcos (PSC). A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PMDB), apesar de ausente, foi empossada no Conselho Fiscal. A partir de amanhã, todos participam do Encontro Nacional de Prefeitos e Prefeitas com o presidente Lula.

Tem cinema sim, senhor.

Os meses de fevereiro e março, no Sesc Campos, serão dedicados ao Circo. 

E dentro da programação - que contará com exposições, oficinas, performances etc. - terá mostra de cinema infantil com filmes que exploram a temática circense. São filmes dirigidos para o público infantil, porém arrancam suspiros de muitos marmanjos. As exibições ocorrerão às sextas-feiras dos meses de fevereiro e de março, sempre às 15h.

No dia 13/02 - Cirqu du Soleil: A jornada de um homem. De Keith Melton, 38 min.
No dia 20/02 - Dumbo (animação). De Ben Sharpsteen, 63 min.
No dia 06/03 - A turma do Gasparzinho: o circo. De Brad Sillberling, 40 min.
No dia 13/03 - As sete faces do Dr. Lao. De George Pal, 100 min.
No dia 20/03 - Cique du Soleil: A reinvenção do circo. De Guy Caron, 56 min.
No dia 27/03 - replise de Cirque du Soleil: a jornada de um homem.


O Sesc Campos fica na Av. Alberto Torres, 397 - Centro - Campos dos Goytacazes
Telefone: (22) 2725-1209 / 2725-1210
Para ver toda a programação é só clicar nas imagens para ampliá-las.

domingo, fevereiro 08, 2009

Campos tem 107 “subprefeitos”

É possível verificar a determinação de um governo em acertar quando este se dispõe a enfrentar situações que podem custar até mesmo prejuízos eleitorais para o governante. É claro que isso é muito raro, já que é da natureza da política o senso de sobrevivência – segundo Maquiavel isso era até uma obrigação do Príncipe, que deveria ter como principal atribuição manter-se no cargo.

Deve ser por isso que a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, preferiu errar a desmontar um aparato oficial que funciona, na prática, como uma rede de recompensa a cabos eleitorais. Trata-se aqui da figura do “supervisor de serviços municipais”, semelhante ao que outras cidades chamam de subprefeitos e que também em Campos teve outros nomes.

Com a astúcia dos bons farejadores de votos, a prefeita alterou decreto de sua própria autoria, e primeiro do seu governo (001/09), que previa a nomeação de 40 “coordenadores regionais” (DAS-4) e 41 “supervisores locais” (DAS-6), para ampliar a base de colaboradores bancados com dinheiro público. A mudança foi feita por meio do decreto 028/09, publicado no Diário Oficial no último dia 30, que eliminou os coordenadores regionais e reduziu os salários dos supervisores (para DAS-7, o que equivale a aproximadamente R$ 1,3 mil), mas aumentou o número destes postos para 107. Ou seja, repartiu o bolo com mais gente.

Desde 31 de janeiro, o Diário Oficial tem sido então profícuo no registro das nomeações dos novos “supervisores de serviços municipais”. A cada dia sai uma leva de agraciados. Sob o comando direto da Secretaria de Governo, cada um deles tem a missão de saber se tudo vai bem, em seu bairro ou distrito, e se reportar à Prefeitura para cobrar providências – o que deveria ser uma ação voluntária de uma associação de moradores ou de qualquer cidadão.

Para que o leitor tenha um referencial, registre-se aqui o caso de São Paulo, que tem desde 2002 uma divisão em Subprefeituras – antes disso eram chamadas de Administrações Regionais. Sabe quantos são atualmente os subprefeitos na maior capital do país, com 11 milhões de habitantes? 31, que atuam sob o comando da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras. E um dos critérios para justificar a criação de uma subprefeitura paulistana é o de que a área a ser abrangida tenha aproximadamente 500 mil habitantes – número bem próximo ao de Campos, com seus 107 subprefeitos “supervisores”.

A proliferação local dos equivalentes dos subprefeitos pouco tem a ver com eficiência no atendimento à população. Parece, isto sim, mais próximo do atendimento ao apetite de vereadores e de caciques eleitorais de bairro. E sem eles a prefeita não governa e não se reelege.

[Artigo publicado na edição de hoje do Monitor Campista]

sábado, fevereiro 07, 2009

Jornalistas do RJ têm reunião hoje

A nova diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Rio de Janeiro (da qual faço parte) se reúne hoje, a partir das 11h, em sua sede, em Niterói. De Campos, também fazem parte da diretoria os jornalistas Paulo Thomáz e Elis Regina Nüffer.

A posse solene da diretoria acontece na próxima quarta, 11, às 19h, no auditório da OAB em Niterói. A entidade continua presidida pelo jornalista Ernesto Viana.

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Programa Cinema Para Todos chega a Campos

Após o bem sucedido lançamento em novembro de 2008, o Programa CINEMA PARA TODOS chegou a Campos.  Um programa das Secretarias de Estado de Educação e de Cultura desenvolvido pela Associação Cidadela – Arte, Cultura e Cidadania, o CINEMA PARA TODOS tem por objetivo democratizar o acesso ao cinema nacional por meio de distribuição de vales-ingressos, que poderão ser trocados na bilheteria do cinema por alunos do nono ano do Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA da Rede Pública Estadual de Ensino.
Na primeira etapa o CINEMA PARA TODOS já beneficiou oito municípios: Araruama, Armação dos Búzios, Bom Jesus do Itabapoana, Duque de Caxias, Itaperuna, Petrópolis, Três Rios e Valença. A segunda etapa começa junto com o ano letivo de 2009. Nesta fase do programa, serão 14 municípios beneficiados. Além de Campos, Angra dos Reis, Barra Mansa, Macaé, Nilópolis, Niterói, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Resende, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João de Meriti, Teresópolis e Volta Redonda.
Cada município terá pelo menos um promotor. Em Campos, três promotores distribuirão vales-ingressos a partir do dia 2 de março em 58 escolas, sendo que um desses promotores será o bravo Wesley barbosa Machado.
Os vales serão trocados pelos alunos por ingressos em salas de cinema comerciais parceiras e poderão ser utilizados durante um mês, de 6 de março a 2 de abril, em sessões de filmes brasileiros que estejam em cartaz.

UJS renova diretoria e reelege presidente

A UJS em Campos envia release para avisar que está sob nova direção. "A União da Juventude Socialista (UJS) realizou na última quinta-feira uma plenária de filiados onde foi reformulada a direção municipal da entidade. Cerca de 50 jovens líderes participaram do evento, que também debateu as perspectivas da entidade para o ano de 2009 e as ações que serão efetuadas no movimento estudantil. A nova direção terminará o mandato no fim do primeiro semestre de 2010", anunciam.

O estudante de Design Gráfico do IFF, André Lacerda, foi reeleito na presidência da entidade. Sua prioridade, afirma, é "reorganizar o movimento estudantil".

Veja a diretoria completa:
André Lacerda - Presidente
Marcos Vinicius Tavares - Tesoureiro e Diretor de Políticas Públicas de Juventude
Fabiano Seixas - Diretor de Organização
Sagaz Carvalho - Diretor de Comunicação
Jéssica Carvalho - Diretora de Formação e Cultura
Maycon Prado - Diretor de Movimento Secundarista
Afonso Neto - Diretor de Esportes

Diretoria Plena:
Rafhael Victor (Presidente do Grêmio do CEFET)
Lara Barreto (Presidente do Diretório Acadêmico da UFF)
Marcos Paulo Barrias (Presidente do Grêmio da E.T.E. Agrícola)
Bruno Ribeiro (Presidente do Centro Acadêmico da UNESA)
Daniel Carvalho
Júlio Cid

Volta às aulas adiadas

A volta às aulas teve de ser adiada em duas escolas estaduais de Campos. Isso, segundo informações, porque vítimas das enchentes no município, que ficaram alojadas nas instituições, depredaram as escolas: cerca de 400 mesas e fios de cobre do para-raio foram roubados, as paredes estão pichadas com siglas de facções criminosas, portas foram arrombadas e vasos sanitários, quebrados. Em uma das escolas, um laboratório foi invadido e equipamentos, como microscópios, foram destruídos. Funcionários passaram o dia limpando a unidade.

Bloco de desejos

Acabo de incluir na lista de futuras compras o livro Conversas de Cafetinas, que acaba de ser lançado pela Arquipélago Editorial. A obra, do jornalista Sérgio Maggio, "traça o perfil de oito cafetinas que ele conheceu em Salvador e em cidadezinhas do interior baiano, um trabalho jornalístico que apresenta uma visão pouco conhecida sobre o mundo do sexo", nas palavras do editor Tito Montenegro. Mais sobre o livro e a editora, aqui.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

STF proibiu nepotismo, lembra advogado

O sempre atento Cléber Tinoco publicou aqui em seu blog o lembrete de que uma "súmula vinculante do STF que proíbe nepotismo". Bastou isso para que comentadores começassem a listar os parentes nomeados da atual gestão da Prefeitura de Campos.


O advogado reproduziu a súmula do STF, que diz o seguinte:


"A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta (filho, pai, avô, bisavô), colateral (irmão, tio, sobrinho) ou por afinidade (enteado, genro, sogro, cunhado, filho do cunhado), (...) da autoridade nomeante (Prefeito) ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento (cargo em comissão ou de confiança - DAS), para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas (nepotismo cruzado), viola a Constituição Federal".

Continua a farra dos supervisores

Continua a montagem da rede de cabos eleitorais oficiais. O Diário Oficial de hoje, publicado pelo Monitor Campista, traz as nomeações de quatro "Supervisores de Serviços Municipais", uma prática tão antiga quanto nefasta da Prefeitura. Uma das nomeações foi republicada por ter saído com incorreção, as demais são novinhas em folha de pagamento. Uma quinta portaria sobre o cargo dá conta de uma exoneração. Os agraciados com a função comissionada (DAS 07) serão os olhos da Secretaria de Governo nas comunidades de Parque Santos Dumont, Rio Preto, Babosa e Santo Amaro/Boa Vista. Outro post do urgente! sobre o assunto, aqui.

E uma sugestão de pauta para a imprensa: Quem são, quantos são, quanto custam ao município, e o que fazem os "supervisores de serviços municipais".

BR-101 no norte fluminense terá mais 2 pedágios

 A concessionária Autopista Fluminense, da OHL Brasil, que administra o trecho da BR-101/RJ, que vai da ponte Rio-Niterói até a divisa com o Espírito Santo, inicia na próximo semana a cobrança de pedágio em mais duas praças na rodovia. A tarifa básica será de R$ 2,50.

À meia-noite da próxima segunda-feira (dia 9) começará a cobrança na praça localizada no quilômetro (km) 123, em Campos dos Goytacazes e a partir das 0h do dia seguinte na praça localizada no km 299, em São Gonçalo.

Mais informações aqui.

Para rever as tarifas a serem cobradas, como foi postado aqui no Urgente!, aqui.

Lula lá

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Machadinha: Origem, História e Influências

clique na imagem para ampliá-la.

No próximo sábado, dia 07 de fevereiro, será lançado o livro "Machadinha: Origem, História e Influências" e haverá a inauguração do Memorial de Machadinha.

O livro tem a organização do professor Leonardo Vasconcellos e conta com artigos de vários autores, entre eles o nosso amigo Wellington Cordeiro.

O evento é gratuito e tem início marcado para às 19h30min.

Cabos eleitorais oficiais

Certas tentações são difíceis de superar na política. Uma delas é a nomeação de cabos eleitorais para funções mirabolantes. Em Campos, sem que haja qualquer divisão formal em subprefeituras ou modelos semelhantes, disseminou-se a prática de remunerar, com dinheiro público, agentes da Prefeitura em bairros e distritos. Atendem pelo nome oficial de "Supervisores de Serviços Municipais". Que tal?

Hoje mesmo, por exemplo, o Diário Oficial do Município, publicado pelo Monitor Campista, traz as nomeações de dois destes "supervisores". Um vai cuidar da extensa área do "Beco/Usina Santo Antônio", outro do distrito de Beira do Taí. Receberão salários mensais como DAS 07.

Quem comanda o exército de cabos eleitorais é a Secretaria de Governo.

terça-feira, fevereiro 03, 2009

"Fonte dos royalties secou"

"Com a queda dos preços do petróleo, municípios perdem até 36% das receitas - A queda no preço do petróleo no mercado internacional e a apreciação do dólar em relação ao real já impactam as finanças de municípios brasileiros dependentes de royalties", noticiou o Monitor Mercantil.

Os dez maiores municípios beneficiários de royalties no país receberam, em janeiro, no mínimo, R$ 1 milhão a menos do que em dezembro passado. Em Campos dos Goytacazes, no Norte fluminense, a diferença ultrapassa R$ 11,8 milhões. 


Mais informações aqui.

Baixa no Ururau

O jornalista Álvaro Marcos confirmou hoje para o urgente! que, "por razões pessoais", teve que deixar o projeto do site ururau, como antecipou aqui ontem Alfredo Soares. O site continua sob comando do casal Leandro Nunes e Clícia Cruz. Álvaro continua no blog Ligação Direta.

Publicidade Brasil a fora

A sentença proferida pelo juiz titular da Vara Cível de Campos de Goytacazes, Cláudio Ferreira Rodrigues (como Vitor Menezes informou aqui no Urgente!) está ganhando repercussão nos veículos de comunicação do Brasil a fora, como: Folha de S. Paulo, Portal Terra, Gazeta do Sul, O Globo, Jornal do Brasil, Portal Acadêmicos Online, Portal Último Segundo, Diário do Grande ABC, entre outros.

Ainda ganham pra isso

Talvez seja tarde para falar no assunto. Mas falo assim mesmo. Esse slogan "Minha cidade, meu amor" é brega de doer. Parece coisa de Piramboetetuba do Extremo Sul. Francamente.


Além disso, trata-se de um baita lugar-comum, como confirma aqui o infalível google.

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Denúncias, denúncias e mais denúncias

Neste primeiro mês de gestão, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, por meio dos seus secretários e presidentes de órgãos e fundações, denunciou publicamente 12 casos de suspeitas de corrupção no governo anterior. Não deixa de ser um alento que estas situações sejam oficialmente expostas.

Parece pouco, no entanto, diante da notória condição de abandono em que se encontrava o município. Como continuam os processos da Operação Telhado de Vidro e foi pedida ao TCE uma auditoria nas contas da Prefeitura, ainda poderá exalar mais podridão do esgoto da gestão anterior.

Além de denunciar, espera-se da prefeita o óbvio: que não permita que sejam repetidas as práticas que diz condenar. Até agora nenhum passo significativo foi dado no sentido de tornar as contas públicas totalmente transparentes e a gestão verdadeiramente participativa.

Veja abaixo o que foi denunciado neste primeiro mês de governo Rosinha:

Caso Campos Luz
Segundo o presidente da empresa municipal de iluminação, Álvaro Barbosa, empresas contratadas receberam por serviços não realizados. No ano passado foram gastos R$ 34 milhões, sendo que 35% deste valor foram destinados a apenas cinco empresas. Também foi denunciado um saque injustificado de R$ 10,4 milhões na conta da Campos Luz, no final de dezembro passado, e o gasto, em 2008, de R$ 40 milhões sem licitação.
Para ler mais, aqui e aqui.

Caso Zumbi dos Palmares
O presidente da Fundação, Jorge Luiz dos Santos, registrou na polícia a denúncia de que R$ 5 milhões foram gastos em serviços não realizados. Teriam servido para pagar "shows fantasmas".
Para ler mais, aqui.

Caso do crescimento da folha
Os novos secretários de Controle e Orçamento e Administração e Recursos Humanos, Suledil Bernardino e Fábio Ribeiro, denunciaram que a folha de pagamentos do funcionalismo público cresceu 21,4% de 2007 para 2008. O salto foi de R$ 329,47 milhões para R$ 400,1 milhões. Parte da explicação para o fenômeno foi o que chamaram de "banalização das horas extras" como forma de gratificação a servidores."Na área da Saúde, são mais de 1.062 médicos, no quadro permanente. Com horas extras pagas para médicos substitutos, em plantões de segunda à sexta-feira, foram mais de R$ 5,02 milhões em 2008, contra R$ 2,9 milhões, em 2007", exemplifica a Prefeitura.
Para ler mais, aqui.

Caso dos marajás municipais
O secretário de Administração e Recursos Humanos, Fábio Ribeiro, denunciou que apenas 357 servidores recebiam 11% do valor destinado à folha de pagamentos da Prefeitura, R$ 3.645 milhões mensais. De acordo com Ribeiro, por exemplo, somente dois funcionários da Secretaria de Fazenda receberam, cada um, R$ 400 mil em agosto de 2008. A prefeita determinou a suspensão dos pagamentos até que estes casos fossem apurados.
Para ler mais, aqui.
Foto: Robeto Jóia/Secom PMCG
Caso do laboratório abandonado
O secretário de Meio Ambiente, Paulo Feijó, denunciou que cerca de R$ 500 mil foram peridos em razão do sucateamento de um laboratório de medicamentos fitoterápicos no Horto Municipal.
[Foto: Medicamentos estragados no laboratório abandonado]
Para ler mais, aqui.

Caso das verbas do Peti
De acordo com a secretária de Família e Assistência Social, Joilza Abreu, verbas do Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) foram utilizadas em compras como "dois carros no valor de R$ 65.200, 72 mil unidades de biscoito sem valor nutricional, com vencimento em março, oito toneladas de chá mate, 300 mil quilos de salsicha e 30 mil latas de refrigerantes, tudo nos últimos meses de dezembro, no fim da gestão passada".
Para ler mais, aqui.

Caso das contas 2008
O secretário de Controle e Orçamento de Campos, Suledil Bernardino, denunciou que não houve prestação de contas do exercício de 2008.
Para ler mais, aqui.

Caso da compra fantasma na Fundação da Infância
O presidente da Fundação Municipal da Infância e Juventude, Mário Lopes, denunciou que a gestão anterior assinou documento atestando o recebimento de mais de R$ 291,4 mil em mercadorias diversas, que não foram encontradas pela nova gestão. Na nota fiscal de número 266/08 estão relacionados 23 itens empenhados em 18 de dezembro do ano passado e pagos 24h depois (dia 19), à empresa CED Passos e Companhia Ltda, através de um cheque do Banco do Brasil. No endereço que consta na nota fiscal, onde deveria funcionar a empresa - Avenida Garoupas, nº 347, na praia de Farol de São Tomé -, na verdade existe uma residência de veraneio, de acordo com matéria do site da Prefeitura.
Para ler mais, aqui.

Caso do pagamento indevido na Educação
A secretária de Educação, Maria Auxiliadora Freitas, denunciou que a gestão anterior da secretaria contratou uma firma para instalação de softwares no valor de R$ 5 milhões. Segundo ela, os programas valeriam "muito menos".
Para ler mais, aqui.

Caso da dívida com a União
O governo anterior, segundo a prefeita Rosinha Garotinho, deixou uma dívida com o governo federal de R$ 237 milhões, o que impossibilita que novos programas federais sejam colocados em prática no município.
Para ler mais, aqui.

Caso Apic
A prefeita Rosinha Garotinho determinou investigação sobre a forma como a Apic (Associação de Proteção à Infância) foi transformada em organização não governamental. "Vamos mandar auditar tudo, porque enquanto ONG, ela recebeu da prefeitura pagamentos de um convênio de R$ 5 milhões”, disse a prefeita, segundo matéria do site da Prefeitura.
Para ler mais, aqui.

Caso dos alugueis suspeitos
A secretaria de Administração recebeu a incumbência de fazer um levantamento sobre os prédios alugados pela Prefeitura. Somente para abrigar a sede da secretaria de Planejamento, o município gasta R$ 10 milhões, segundo a prefeita.
Para ler mais, aqui.

Vai uma tese de doutorado aí?

"A massificação dos doutoramentos, que triplicaram em dez anos, abriu a porta ao negócio e à falsificação. Vendem-se teses por milhares de euros e alguns são plágios. Só pontualmente é que os professores dão conta de que se trata de cópias, facilitadas pelas bases de dados na Internet Quanto vale uma tese de doutoramento? Se para muitos é condição para preservar um emprego na carreira académica e, para outros, uma arma no cada vez mais competitivo mercado de trabalho, há quem tenha na "produção" ou falsificação de teses uma actividade lucrativa. O preço cobrado por uma tese de doutoramento - que abre portas na administração pública, política e empresas - pode chegar aos 50 mil euros, segundo disse ao DN um professor universitário. Mas se a exigência e a bolsa forem limitadas, há preços mais baixos."

Por Carla Aguiar, do Diário de Notícias, de Portugal. Aqui.

Ricardo André de volta ao Monitor

O jornalista Ricardo André está de volta ao Monitor Campista. Recomeça hoje no jornal depois de seis meses afastado do jornalismo diário. Uma ótima notícia para os leitores.

De volta o blog da Casa

Caderno Maiscultura, do Monitor de hoje, publica matéria bacana sobre a volta do blog da Casa da Fotografia, entidade que reúne uns bons sujeitos do ramo. O caminho da casa é por aqui.

Sem as gostosas não dá!

Bem-humorado ou informal demais para o cargo? O juiz Claudio Ferreira Rodrigues, da Vara Cível de Campos, mereceu registros em vários veículos da imprensa e no site Consultor Jurídico, em razão da sentença que prolatou acerca de um processo de um consumidor que reclamava da compra de uma TV com defeito. O magistrado brincou com o fato de o cidadão ficar sem poder ver "as gostosas" do Big Brother.

Diz um trecho da sentença:

""Na vida moderna, não há como negar que um aparelho televisor, presente na quase totalidade dos lares, é considerado bem essencial. Sem ele, como o autor poderia assistir as gostosas do Big Brother, ou o Jornal Nacional, ou um jogo do Americano x Macaé, ou principalmente jogo do Flamengo, do qual o autor se declarou torcedor? Se o autor fosse torcedor do Fluminense ou do Vasco, não haveria a necessidade de haver televisor, já que para sofrer não se precisa de televisão".

A íntegra está aqui.

users online